Procon encontra diferença de até 50% em preço de ovo de Páscoa de mesma marca vendido em Natal

Ovos de páscoa em supermercado de Natal — Foto: Alessandro Marques/Procon Natal
Ovos de páscoa em supermercado de Natal — Foto: Alessandro Marques/Procon Natal

Por g1 RN — Uma pesquisa realizada pelo Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Natal, constatou que os preços dos ovos de Páscoa aumentaram, em média, 12,32% em 2024, na comparação com 2023.

Mas o que chamou atenção dos pesquisadores do instituto foi a diferença de preço cobrado por um mesmo produto, em diferentes estabelecimentos da capital potiguar. Um mesmo ovo de 240g que custava R$ 39,99 em um atacarejo foi encontrado a R$ 59,99 em um supermercado da cidade – uma diferença de 50%.

Ainda segundo o Procon, o preço médio por 100 g era de R$ 20,72 em 2023 e chegou a R$ 23,62 neste ano. Em uma marca específica, a diferença entre um ano e outro foi de 25%.

“Os ovos de personagens licenciados e com brinquedos são os mais solicitados pelas crianças, e também os mais caros. O Procon Natal orienta que se faça pesquisa de preço e qualidade. Além disso, ao escolher o produto, o consumidor deve verificar com atenção o prazo de validade, a composição e o peso líquido do produto”, informou o órgão.

A equipe percorreu 24 estabelecimentos do comércio da capital, entre Supermercados, Hipermercados, Atacarejos e Lojas de departamento/especializadas. Um total de quarenta tipos variados de ovos e chocolates das marcas, com gramaturas de 45 g até 560 g foram pesquisados, como também caixas de bombons sortidos variando de 250 g a 251 g.

Veja o relatório da pesquisa aqui

Segundo o Procon, o consumidor deve pesquisar os preços e a qualidade dos produtos. Ovos de Páscoa caseiros também podem ser uma boa opção para economizar. O Procon orienta que o consumidor fique atento às informações detalhadas sobre data de validade do produto, peso e composição.

“A embalagem deve estar em boas condições de armazenamento, verifique se não há amassados ou furos que podem contaminar o produto. Os brinquedos devem estar certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) ou ainda pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), além de serem compatíveis com a idade da criança”, informou o órgão.

Ovos de chocolate importados devem trazer no rótulo a tradução em português. O consumidor pode verificar quais são os mais atrativos e, ainda, exigir o cumprimento da oferta, caso se depare com publicidade enganosa.

O consumidor que tiver dúvidas sobre a relação de consumo, e identificar ou suspeitar de irregularidades pode acionar o Procon Natal por meio do WhatsApp: (84) 98812-6538 e no e-mail: [email protected], como também, o atendimento presencial disponível na sede do Órgão, na rua Ulisses Caldas, 181 no bairro da Cidade Alta.