As Forças Armadas fazem parte da Comissão de Transparência das Eleições, criada pelo TSE. — Foto: © Sergio Lima/Poder 360

O ministro Edson Fachin, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), disse ao Ministério da Defesa nesta sexta-feira (6) não se opor à divulgação de documentos das Forças Armadas com sugestões e pedidos de esclarecimentos sobre o processo eleitoral.

Na quinta-feira (5), o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, pediu que a Corte divulgasse os questionamentos feitos pelas Forças Armadas. O general justificou a solicitação afirmando que os documentos são de interesse público.

Ao dizer que não vê problemas em divulgar o material de modo conjunto com a Defesa, Fachin afirmou que há documentos classificados pelo próprio ministério como sigilosos.

“Noticio que os documentos remetidos pelo Ministério da Defesa ao Tribunal Superior Eleitoral podem ser colocados ao pleno conhecimento público, sem que haja qualquer objeção por parte da Corte Eleitoral”, disse Fachin.

“Ressalvo, por necessário, que há, dentre os documentos enviados o Ofício nº 8 e seus anexos, classificado, pelo próprio Ministério da Defesa, como de caráter reservado”, prosseguiu o ministro.

As Forças Armadas fazem parte da Comissão de Transparência das Eleições, criada pelo TSE em setembro de 2021. O objetivo do grupo é tornar as disputas eleitorais mais transparentes e seguras.

Segundo Fachin, os documentos de caráter público que são produzidos pela Comissão são “devidamente publicizados” pelo TSE.

Poder 360