Deputado chamou a atenção das autoridades para adoção de políticas públicas que protejam as mulheres. — Foto: João Gilberto

O deputado estadual Vivaldo Costa (PSD) apresentou requerimento na Assembleia Legislativa, direcionado ao Governo do Estado e ao secretário estadual da Saúde Pública, Cipriano Maia de Vasconcelos, solicitando a criação de Política Estadual de Prevenção da Mortalidade Materna, Apoio e Acolhimento de Gestantes e Parturientes durante endemias, epidemias ou pandemias.

“A mortalidade materna é um dos traços mais silenciosos de violência contra a mulher, ocorrendo na maioria dos casos na rede pública de saúde e tendo como vítimas principalmente mulheres pobres, seja na gravidez, no parto ou puerpério, violando gravemente a dignidade das mulheres que se encontram nessa condição, além de promover o sofrimento de toda a família”, justificou.

O parlamentar chamou a atenção das autoridades e da necessidade de adoção de políticas públicas que protejam essas mulheres, visto o número considerável de morte destas.

“De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2016 cerca de 1.829 mulheres tiveram suas vidas interrompidas por questões relacionadas ao agravamento por gravidez, parto ou puerpério, sendo equivalente a cinco mortes por dia. Ainda de acordo com o Data SUS e a OMS, o nosso pais é responsável por cerca de 20% das mortes maternas no mundo, e mesmo apesar de ter assumido o compromisso de reduzir esses números, os avanços não foram significativos e são avaliados como lentos por organismos de avaliação internacional”, finalizou.