O produtor musical agora responderá as acusações de violência contra a ex-esposa em liberdade. — Foto: © Reprodução/Instagram

Por Diário do Nordeste — Preso desde julho, o produtor musical e cantor Iverson de Souza Araújo, o DJ Ivis, deixou o Centro de Triagem e Observação Criminológica (CTOC), em Aquiraz (Grande Fortaleza), no fim da noite desta sexta-feira (22).

Ivis deixou o presídio na presença de advogado às 22h18. A soltura foi determinada pela Vara Única de Eusébio nesta tarde.

Na saída, o artista teve o rosto coberto pela defesa, antes de entrar em um dos carros e ir deixar o complexo penitenciário. Ele responderá o processo em liberdade.

Os advogados de Iverson não quiseram dar entrevista ao Sistema Verdes Mares no local.

O Diário do Nordeste solicitou detalhes sobre a soltura à defesa do produtor, como qual será a medida cautelar que substituirá a prisão, e aguarda respostas para atualizar esta matéria.

Iverson é investigado por lesão corporal no âmbito da violência doméstica e familiar contra a ex-esposa, Pamella Holanda.

O paraibano foi preso no dia 14 de julho de 2021, em um condomínio de luxo localizado em Aquiraz. A captura ocorreu por força de um mandado de prisão preventiva representado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Metropolitana do Eusébio (DME), unidade responsável por investigar o fato.

HABEAS CORPUS NEGADOS

Antes de ser solto nesta sexta, DJ Ivis teve alguns pedidos de habeas corpus negados, sendo o último em 31 de agosto, onde o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a prisão preventiva.

Três dias depois do encarceramento, em 17 de julho, o Poder Judiciário Estadual negou um pedido de liberdade que havia sido protocolado pela defesa.

Pessoas alheias ao processo, que não integram a defesa do produtor musical, também chegaram a entrar na Justiça pedindo a soltura dele.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

O caso de violência ganhou repercussão nacional após vídeos das agressões cometidas por Iverson contra Pamella serem divulgados nas redes sociais.

A prisão do DJ foi tomada com base na garantia da ordem pública, segundo declaração do secretário da Segurança Pública do Ceará, em 15 de julho.