Michelle Bolsonaro se vacinou na viagem aos Estados Unidos. — Foto: Reuters/John Minchillo

A primeira-dama Michelle Bolsonaro anunciou hoje, pelas redes sociais, que testou negativo para a Covid-19. Ela integrou a comitiva presidencial que foi a Nova York para participar da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) e eventos paralelos.

A delegação brasileira conta com quatro pessoas infectadas com o novo coronavírus até o momento: o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o deputado federal e filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), presidente da Caixa, Pedro Guimarães e um diplomata que ajudou a organizar a viagem. A maioria da comitiva de Bolsonaro voltou ao Brasil na quarta-feira (22). Queiroga permaneceu nos Estados Unidos em isolamento.

Depois do anúncio do diagnóstico do ministro da Saúde, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) emitiu uma recomendação para que os integrantes da comitiva presidencial permanecessem em quarentena de 14 dias, mas, após cinco dias, o grupo poderia fazer um novo teste e ser liberado em caso de resultado negativo para a covid-19.

Michelle Bolsonaro se vacinou na viagem aos Estados Unidos. Pelas regras do governo do Distrito Federal, local onde mora, pessoas de sua faixa-etária já poderiam ter tomado a vacina desde o mês de julho.

O governo federal soltou nota afirmando que ela se vacinou por sugestão de um médico ao se submeter ao teste de PCR, obrigatório para autorização de embarque de volta ao Brasil. “Como já pensava em receber o imunizante, resolveu aceitar”, justificou a nota.

Por UOL