Segundo o presidente, os responsáveis por auditar os votos das urnas serão as mesmas pessoas “que liberaram o Lula. — Foto: Reprodução/YouTube

Em declaração a apoiadores, nesta segunda-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que pensa em não buscar a reeleição em 2022, caso o processo eleitoral não seja alterado para o voto impresso.

A fala do presidente, em frente ao Palácio da Alvorada, ainda teve mais uma vez a palavra “fraude” em relação ao processo de votação. Outro ponto abordado por Bolsonaro foi que as urnas eletrônicas serão auditadas dentro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de ‘forma secreta’.

Segundo o presidente, os responsáveis por auditar os votos das urnas serão as mesmas pessoas “que liberaram o Lula [ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva] e o tornaram elegível”.

A afirmação de Bolsonaro contraria o que diz o TSE. O tribunal garante que todas as fases da votação são auditáveis, além do acompanhamento dos integrantes dos partidos políticos ser permitido.

“Olha, eu entrego a faixa para qualquer um, se eu disputar eleição…”, começou Bolsonaro.

“Agora, participar dessa eleição com essa urna eletrônica…”, completou o presidente, dando a entender que não vai aceitar uma possível derrota.

ISTOÉ