Apesar das incertezas, as eleições 2022, estão previstas para ocorrer nos dias 2 e 30 em outubro. — Foto: Reprodução/Divulgação

No Rio Grande do Norte o cenário projeta um duelo de titãs na disputa pelo Governo do Estado e o Senado Federal. Isso é o que mais tem se comentado nos bastidores da política potiguar. Para enfrentar a governadora Fátima Bezerra (PT) que deverá disputar a reeleição, surgem os nomes do deputado estadual Tomba Farias (PSDB), deputado federal General Girão (PSL) e o senador Styvenson Valentim (Podemos). Apesar das incertezas, as eleições 2022, estão previstas para ocorrer nos dias 2 e 30 em outubro.

Desses, o nome que nasce com mais força para enfrentar a petista Fátima Bezerra é o parlamentar Tomba Farias, voz firme na oposição a governadora. Tomba chegaria com o apoio do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB); prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB); ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD), deputados estaduais e prefeitos de cidades-polo. Na sua chapa majoritária, o candidato a Senador seria o ministro Rogério Marinho (sem partido). Maior liderança política do Trairi e com o apoio do prefeito da capital, segundo consta, o objetivo de Tomba é buscar seu companheiro de chapa em Mossoró. A indicação partiria do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade).

Por sua vez, a governadora Fátima Bezerra contará em seu palanque com o ex-presidente Lula (PT), apontado hoje em todas as pesquisas na corrida presidenciável como o favorito do eleitorado. O seu vice-governador seria o secretário de Desenvolvimento Econômico e ex-prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado (PROS). Na sua base, a governadora contabiliza a senadora Zenaide Maia (PROS), o senador Jean-Paul Prates (PT), deputada federal Natália Bonavides e os deputados estaduais que lhe dão sustentação na Assembleia Legislativa e diversos prefeitos do interior do RN.

E agora viria a cartada de mestre de Fátima Bezerra. Para o Senado Federal, o convite foi formulado, é o que se propaga, para Carlos Eduardo Alves, ex-prefeito de Natal por quatro mandatos. Pelo que se comenta nas rodas políticas, como forma de unir a capital e o interior, o ex-prefeito de Caicó, Bibi Costa (PL) estaria na chapa como o 1º suplente, bem como para atrair o apoio da família Alves que tem como maior liderança o ex-senador e ex-governador Garibaldi Alves Filho (MDB). Especula-se que neste cenário, o deputado federal Walter Alves (MDB) e o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (MBD), também estariam juntos. Aguardemos…