Vivaldo também solicitou que o meteorologista, Gilmar Bistrot, participe de uma reunião de forma remota. — Foto: Eduardo Maia

Durante a Sessão Plenária desta terça-feira (13), realizada de forma remota, o deputado Vivaldo Costa (PSD) se pronunciou a respeito do inverno deste ano em todo o RN, principalmente na região mais seca do Seridó. Falando opiniões de diferentes especialistas e “profetas”, o parlamentar alertou que, para uns, o inverno será fraco e irregular, principalmente em abril; e, para outros, haverá chuva dentro do normal – e até abundante – este mês.

“Ontem no Seridó, graças a Deus, tivemos bastante chuva, em vários municípios. Nós tivemos, em Serra Negra do Norte, 102mm. Em Jardim de Piranhas, na zona urbana, 85mm e, na parte rural, mais de 100mm. Em Paraú também passamos dos 100mm. Isso tudo nos dá um alento”, detalhou.

Mas, segundo Vivaldo, “a verdade nua e crua é que o homem do campo está muito sofrido, em virtude de 10 anos seguidos de seca”.

“Desde 2012 nós temos invernos irregulares no Seridó, e os agricultores estão indignados. Eles precisam de poços tubulares, de carros-pipa e de políticas públicas junto aos bancos que vêm sufocando os pequenos agricultores, a fim de receber seus empréstimos. Mas o sertanejo, o pecuarista, o seridoense não tem como pagar”, argumentou.

Por fim, o parlamentar frisou que é preciso haver um planejamento adequado por parte do Governo do Estado e das secretarias envolvidas, no sentido de auxiliar o homem do campo a passar por esse momento de dificuldade.

Vivaldo sugere que meteorologista Gilmar Bistrot apresente diagnóstico climático para o RN na Assembleia

Ainda durante sessão desta terça-feira (13), Vivaldo solicitou da presidência da Assembleia Legislativa que o meteorologista, Gilmar Bistrot, participe de uma reunião de forma remota. A ideia do parlamentar é que possa ser apresentado um diagnóstico da situação climática para o 2021. De acordo com o parlamentar, o assunto é de interesse de todo o Rio Grande do Norte. “Com a fala do especialista os deputados, das mais diferentes regiões, conseguirão orientar a população e exigir ações do Governo do Estado”, defendeu.