As diligências resultaram na recuperação de um tablet e na obtenção de indícios de autoria que podem levar ao esclarecimento sobre o autor — Foto: PFRN

Duas ações realizadas pela Polícia Federal esta semana em Natal só
agora foram divulgadas pelo órgão considerando que a divulgação poderia
atrapalhar investigações em andamento.

Na terça-feira, 2/3, a PF deflagrou a Operação Vanish, cujo objetivo era identificar
os responsáveis pelo furto de dois tablets e dois notebooks que haviam sido
subtraídos das dependências da Diretoria de Desenvolvimento de Pessoas da
Universidade Federal do Rio Grande do Norte no ano de 2015.

Durante a ação foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nas
cidades de Natal/RN e Parnamirim/RN em endereços identificados e relacionados ao
uso dos equipamentos furtados.

As diligências resultaram na recuperação de um tablet e na obtenção de indícios de
autoria que podem levar ao esclarecimento sobre o autor do furto.

DINHEIRO FALSO

Também na terça-feira, 2/3, a PF prendeu em flagrante um comerciante paulista de
33 anos no momento em que ele recebia três envelopes nos Correios da Av.
Tororós contendo um total de R$ 4.560,00 em notas falsas.

A ação ocorreu logo após os policiais realizarem uma inspeção de rotina nas
encomendas enviadas de fora do estado e terem detectado três envelopes com
indícios de material suspeito. Eles então aguardaram a chegada do acusado e o
abordaram.

Em depoimento, o homem disse na sede da PF que comprou as notas através de
um aplicativo de mensagens e que desconhecia o remetente.

Seguindo todos os protocolos de cuidados do Ministério da Saúde, a Polícia Federal
prossegue com a realização de suas ações em prol da sociedade.