A ação fez parte de mais uma fase da “Operação Varredura” da Cosern — Foto: Reprodução

Equipes técnicas da Cosern, com apoio da Polícia Civil, identificaram e desativaram 12 ligações clandestinas de energia elétrica (o popular “gato”) feitas por uma construtora em dois canteiros de obras no bairro Jardins de Extremoz II, em Extremoz, na Grande Natal, na manhã desta quinta-feira (04).

A ação fez parte de mais uma fase da “Operação Varredura” da Cosern. A responsável pela empreiteira contratada pela construtora para realizar as obras foi conduzida pela polícia para prestar depoimento na Delegacia de Extremoz.

De 01 de janeiro até agora, a Cosern já realizou 7.424 inspeções identificando 566 irregularidades (entre fraudes, furtos e defeitos na medição) e 03 pessoas já foram presas pela polícia em todo estado por cometer a irregularidade de desvio de energia.

Em 2020, 08 pessoas foram presas em 23 ações policiais desse tipo e a Cosern recuperou mais de 2 GWh de energia (volume suficiente para abastecer, por exemplo, os municípios de Grossos ou de Monte Alegre por 30 dias).

A fraude é quando o consumidor já é cliente da Cosern e manipula o medidor de energia com o objetivo de reduzir o consumo faturado. Já o furto consiste em desviar energia diretamente da rede elétrica da Cosern sem a medição do consumo e o conhecimento da distribuidora.

“O gato de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal e a pena para o responsável pela fraude pode chegar a 08 (oito) anos de reclusão” explica Gilmar Mikeias, Gerente de Recuperação da Receita da Cosern.

“Além de crime, o “gato” representa risco de morte a quem faz e a quem está próximo. A ligação clandestina também provoca perturbações no fornecimento de energia da região e pode causar a queima de eletrodomésticos dos vizinhos”, complementa o Gerente.

De acordo com Júlio Giraldi, Superintendente de Relacionamento com Clientes da Cosern, as ações de combate às ligações clandestinas serão intensificadas ao longo de 2021. “Vamos investir ainda mais em tecnologia e inteligência para dificultar cada vez mais a realização desse tipo de crime”, declarou Júlio.

A população pode denunciar as fraudes, de forma anônima e segura, no telefone 116 ou no site da Cosern (www.cosern.com.br).