O petista é coordenador do tema de vacinas no Fórum dos Governadores. — Foto: Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

Por Igor Gadelha, CNN Brasil — O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), disse que o governador João Doria (PSDB) reconheceu que a disputa política entre o tucano e o presidente Jair Bolsonaro o obrigou a antecipar o início da imunização no estado. No entanto, Doria nega que tenha falado qualquer coisa nesse sentido a Dias.

Alvo de críticas de colegas governadores por ter começado a vacinação em São Paulo neste domingo (17), antes dos demais estados, Doria ligou para Dias para tentar aparar arestas e pedir unidade no discurso. O petista é coordenador do tema de vacinas no Fórum dos Governadores.

“Ele falou que seria importante não passar a ideia de divergência. Também reconheceu que tinha uma disputa política entre ele e o presidente Jair Bolsonaro. Falei para ele que nós não estávamos nessa disputa”, relatou Dias à coluna.

Após a conversa, o governador do Piauí fez questão de destacar que os outros estados não cogitam entrar com ação contra São Paulo por ter iniciado a vacinação antes. “A decisão de prosseguir no Plano Nacional de Imunização supera esse episódio”, disse o petista.

Dias ressaltou ter dito a Doria que o único ponto de divergência entre os governadores e o tucano foi a data de início da vacinação. “Todos nós reconhecemos o papel importante de São Paulo que permitiu o início da vacinação no Brasil”, afirmou.

À CNN, Doria confirma que telefonou para Dias, mas nega que tenha assumido qualquer influência política no início da vacinação.