Em depoimento, jovem disse que aceitou função para conseguir "renda extra" — Foto: Reprodução

Por Pleno.news — Isadora Alkimin Vieira, filha do cantor Belo, disse à Polícia Civil do Rio de Janeiro que não sabia que estava trabalhando para golpistas. Ela afirmou que aceitou coletar “dados das pessoas” porque estava com muitas dívidas. As informações são do jornal Extra, que teve acesso ao depoimento que a jovem prestou a agentes da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod).

A jovem foi presa no último dia 10, com outras 11 mulheres, em um apartamento em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O imóvel funcionava como uma espécie de central de telemarketing do grupo acusado de integrar uma organização criminosa, que fazia com que suas vítimas repassassem dados bancários e entregassem cartões de crédito a motoboys.

Ao depor, a filha de Belo disse não saber o que seria feito com as informações das vítimas. Ela falou que “achava que era uma coisa ilegal, porém achava que essas pessoas seriam ressarcidas por alguma instituição financeira e não tinha certeza se elas perderiam determinado valor”. Isadora relatou que estava na função há pouco menos de um mês e chegou a receber R$ 600, “pois estava na fase de aprendizado da função de coleta de dados”.

A filha do pagodeiro contou ainda que sua renda vinha exclusivamente do que recebia de seus pais, mas aceitou o cargo no grupo para conseguir uma “renda extra”.