Estudos científicos comprovam a ligação do uso de agrotóxicos com o desenvolvimento de cânceres — Foto: Fernando Oliveira

Nesta segunda-feira (19), a senadora Zenaide Maia (Pros – RN) sabatinou os indicados pelo Executivo para a diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), juntamente com os demais senadores da Comissão de Assuntos Sociais. Em seus questionamentos, Zenaide abordou o tema dos agrotóxicos e perguntou aos candidatos à Anvisa se eles pretendem fazer alguma coisa para frear a liberação de novos agrotóxicos: “Tivemos um recorde de agrotóxicos registrados no país nos últimos dois anos. Só em 2019, foram 474. A nova gestão pretende revisar essas liberações e, eventualmente, banir substâncias já banidas na Europa e nos EUA?”, questionou a senadora.

O indicado para ser o novo diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, disse que a agência reguladora se compromete com a adoção de critérios de segurança para a aplicação das substâncias nos cultivos e citou o caso do Paraquate, agrotóxico banido do país, mas com período de tolerância para uso de eventuais estoques.

Zenaide lembrou que vários estudos científicos comprovam a ligação do uso de agrotóxicos com o desenvolvimento de cânceres, problemas neurológicos e nos sistemas digestivo e reprodutor. “Eu sou médica de formação e minha preocupação é essa. Há uma grande pressão para aprovação rápida desses agrotóxicos e à Anvisa, nesse processo, cabe um papel essencial, que é avaliar os riscos à saúde”, assinalou a parlamentar.