Adolescente está em estado grave após ser espancada em Nova Iguaçu. Amigas relatam tentativa de estupro e polícia investiga — Foto: Divulgação

Por Lucas Cardoso e *Luisa Bertola — Uma adolescente de 15 anos foi espancada após resistir a uma tentativa de estupro, na noite desta terça-feira, próximo a linha do trem, em Comendador Soares, bairro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, segundo relato de amigas. Ela está internada em estado grave. O ataque vem à tona no dia de uma megaoperação, ocorrida hoje, para combater a violência contra a mulher, e visa cumprir 100 mandados de prisão contra agressores.

Segundo uma amiga da vítima, a adolescente estava andando com outros colegas a caminho de uma festa no bairro Jardim Canaã, quando perceberam que estavam sendo seguidas por dois homens. O grupo teria estranhado o comportamento deles e todos correram, mas só a vítima teria permanecido por não ter conseguido fugir. Os agressores teriam segurado a menina e a levaram para um local conhecido como um “buraco na linha do trem”.

No local, os agressores teriam tentado estuprar a menina, que resistiu e foi agredida na cabeça diversas vezes até ficar desacordada. Ainda segundo a amiga, as outras que a acompanhavam ficaram com medo de voltar ao local e não procuraram ajuda porque esperavam que a vítima tivesse conseguido fugir.

Após ser socorrida desacordada na manhã de quarta-feira pelo corpo de Bombeiros, a adolescente foi encaminhada para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, onde segue internada em estado grave. Um amigo da família foi quem teria encontrado a menor desacordada no local do crime.

Ela chegou ao hospital em coma, com vários ferimentos na cabeça, mas, segundo informações da Polícia Civil, recuperou a consciência no fim da tarde desta quinta-feira.
Órfã de mãe, a vítima foi criada pela avó materna e morava com ela e outros parentes próximos em uma vila na localidade conhecida como Nova Canaã, no bairro Jardim Canaã.

Segundo a delegada Vanessa Martins, da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu, a adolescente foi encontrada com as roupas e todos os pertences, inclusive o celular, o que pode descartar a ideia de tentativa de assalto e reforça a ideia de tentativa de estupro. Exames apontam que o abuso não teria sido consumado. “Não há sinais de conjunção carnal ou ato libidinoso”, disse a delegada.

A diretora do DGPAM (Departamento Geral de Polícia de Atendimento à Mulher), delegada Sandra Ornellas, disse que, embora nenhum exame tenha apontado as lesões que confirmem a violência sexual, existe uma suspeita pela forma como ela reagiu ao ser socorrida, tentando proteger a região genital.

A adolescente foi encaminhada para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. Segundo a unidade, a menina deu entrada na manhã de quarta-feira e passou por exames de raio-x e tomografia e, por orientação médica, iniciou o protocolo com medidas preventivas para casos de violência sexual, com medicações. Ela está internada em estado grave, porém estável, sendo acompanhada pela equipe de neurocirurgia, ginecologia e clínica médica.
Uma hashtag no Twitter em apoio à vítima ficou entre os assuntos mais comentados no microblog nesta quinta-feira. Amigos e familiares realizarão um protesto, no sábado, às 15h, na Praça dos estudantes, na Via Light.

A Deam realiza todas as diligências e busca imagens de câmeras que possam revelar a identidade dos agressões, ou agressor. Procurada pelo DIA, a Polícia Militar informou que não foi acionada para a ocorrência.