Mulher foi embora sem ser atendida na UPA que estava fechada para novos pacientes. — Foto: Reprodução

Por G1 RN — Uma mulher ficou deitada na calçada da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Esperança em Parnamirim, na Grande Natal, enquanto aguardava atendimento na noite de domingo (31). A paciente foi embora, com a ajuda família, sem conseguir assistência médica porque a unidade amanheceu de portas fechadas devido a superlotação por causa dos casos de Covid-19.

As imagens mostram a mulher deitada no chão, na frente da unidade que estava fechada. A paciente recebia apoio de uma familiar na calçada enquanto outros parentes protestavam. “A gente aqui esperando atendimento na calçada. Vão deixar morrer quantos aqui? É desumano”, dizia um acompanhante da mulher.

Ao G1, o diretor da UPA, Henrique Costa, disse que está tentando localizar a paciente para fazer o devido atendimento. “Ela realmente passou alguns minutos lá na frente e depois foi embora com os familiares. Entramos em contato com as outras unidades para saber do quadro dela, mas não a encontramos. Estou fazendo algumas ligações para achar a paciente e iremos fazer uma visita na casa dela para verificarmos a gravidade do caso”.

CLIQUE AQUI para assistir ao vídeo.

No domingo (31), dia em que a mulher precisou do atendimento, a unidade mostrava um aviso na porta trancada alertando aos que chegavam que “devido à alta demanda, a UPA se encontrava impossibilitada de receber novos pacientes”. Ainda no domingo, a direção informou que a UPA tem capacidade para atender 19 pessoas, mas estava com 26 pacientes (22 casos relacionados à Covid-19).

A Prefeitura de Parnamirim inaugurou nesta segunda-feira (1º) o hospital de campanha do município com 14 leitos clínicos de internação para tratamento do novo coronavírus. De acordo com a secretaria de saúde de Parnamirim, a ideia é desafogar os atendimentos na UPA de Nova Esperança, além de estabilizar pacientes até que eles possam ser transferidos com segurança para uma UTI.