RN já processou a análise de mais de 16 mil amostras desde março passado — Foto: Reprodução

Por Agora RN — O Rio Grande do Norte tem 127 mil exames em estoque para detecção do novo coronavírus, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). O volume é composto por testes RT-PCR (biologia molecular) e de testes rápidos (sorologia). Do total de produtos para análise laboratorial, 51,5 mil dos testes rápidos já foram enviados para municípios potiguares e outros 2,2 mil estão nas unidades hospitalares da rede estadual de saúde pública.

Outros 73,3 mil testes – 41,2 de RT-PCR e 32,1 mil do modelo rápido – estão no Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat). Desde o registro do primeiro caso no Rio Grande do Norte, em 13 de março, o Laboratório Central do Estado (Lacen) processou 88,65% das amostras recebidas. Até esta terça-feira (26), mais de 16 mil exames haviam sido feitos no laboratório.

De acordo com a Sesap, o estoque de testes rápidos mantidos pela Sesap serve como reserva para reposição dos testes já realizados nos municípios e nas unidades hospitalares. O envio de novos testes será feito a partir da notificação dos resultados e da pactuação entre Sesap e Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-RN).

O acompanhamento dos testes utilizados é feito, em termos de estoque, pela Unicat e pela subcoordenadoria de vigilância epidemiológica da Sesap.

Até esta terça-feira (26), segundo a Sesap, o Rio Grande do Norte registrava 5.472 casos confimados de Covid-19. A doença já matou 220 pessoas no Estado.

Ainda de acordo com a Sesap, o uso dos testes é regulamentado a partir de notas técnicas emitidas em abril. A aplicação das análises laboratoriais segue um protocolo de regras específicas. No caso dos testes rápidos, por exemplo, o método só ser feito sete dias após o surgimento dos sintomas relacionados com a Covid-19. A análise é destinada para detectar anticorpos para o novo coronavírus.

O método é destinado para profissionais de saúde, profissionais de segurança pública, pessoa com diagnóstico de síndrome gripal que resida no mesmo domicílio de um profissional de saúde, idoso (idade igual ou superior a 60 anos), cuidadores de idosas que atuam nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), pessoas em situação de rua e, por fim, pessoa portadora de doença crônica.

Segundo a Sesap, estas pessoas devem procurar os serviços de saúde e se identificarem como grupo recomendado para realização do teste, enquanto os profissionais de saúde das unidades estaduais são testados na própria unidade de atuação.

Sobre as coletas de amostras para o teste de RT-PC, por meio de swab (bastonete), a nota técnica nº 9 aponta que devem ser feitas em pacientes que se enquadrem na definição de caso suspeito para Covid-19 que pertençam ao grupo de risco (com comorbidades do tipo diabetes, hipertensão arterial, miocardiopatia, doença pulmonar crônica, neoplasias malignas e gestação de risco ou que estão acima dos 60 anos), ou que sejam profissionais de saúde e, por fim, as pessoas que estejam hospitalizadas com quadro de síndrome respiratória aguda grave.

Dois mil testes serão aplicados em servidores da Segurança

A Secretaria de Estado da Saúde Pública estabeleceu nesta terça-feira (26) estratégia de distribuição e realização dos testes rápidos para detecção de anticorpos (IgM e IgG) contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2) aos profissionais de segurança pública.

De acordo com a Nota Técnica emitida pela Sesap, o Hospital da Polícia Militar, vinculado à Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social do Rio Grande do Norte (Sesed), receberá o quantitativo de 2.040 testes para serem utilizados nos integrantes da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Norte, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Penal e Instituto Técnico-Científico de Perícia.

Segundo a Nota Técnica assinada pelo secretário Cipriano Maia, a realização de testes de detecção de anticorpos contra SARS-CoV-2 permite o retorno mais ágil dos profissionais de segurança ao trabalho e que medidas de proteção social, isolamento, acompanhamento e intervenção possam ser realizadas com maior acerto e melhores resultados na proteção de populações mais vulneráveis.

Os testes rápidos disponibilizados neste momento são os denominados SARSCoV-2 Antibody test®, da fabricante Guangzhou Wondfo Biotech Co., LTD.

Esse teste foi analisado pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), da Fiocruz, e obteve parecer satisfatório.

O profissional da segurança pública deve fazer o teste sete dias após apresentar os sintomas e, de preferência, 72h após a ausência dos problemas.

Caso o resultado do teste seja negativo, os profissionais de segurança ficam aptos a retornar imediatamente ao trabalho. Um resultado positivo determina afastamento de 14 dias, considerando o início dos sintomas.
Para retorno antecipado ao trabalho, em caso de teste negativo, é importante que os serviços de saúde que aplicaram o teste forneçam atestado liberando o profissional para a realização de suas atividades laborais e reforcem as medidas de biossegurança.

Baseado em dados de outros países, que mostram que 15% dos profissionais de segurança podem ser infectados pelo SARS-CoV-2, a distribuição dos testes rápidos será proporcional ao efetivo de cada instituição.