Naldinho teme que o calendário eleitoral comece a ser prejudicado com relações ao pleito de 4 de outubro — Foto: Divulgação

O presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN), José Leonardo Cassimiro de Araújo, é favorável à prorrogação das eleições deste ano e à coincidência daqui em 2022. “Quem tem sensatez, sabe que vai ser necessário o adiamento das Eleições”, disse ele, que adiantou: “O ideal é que se for para adiar, adie já prorrogando para não ter uma despesa em 2021 e outra em 2022”.

José Leonardo C. de Araújo teme que o próprio calendário eleitoral comece a ser prejudicado com relações ao pleito de 4 de outubro, começando pelo fechamento dos cartórios eleitorais durante a janela partidária, que se encerra na segunda-feira (30) e fim do prazo para desfiliações e filiações partidárias para quem almeja sair candidato a prefeito ou vereador, que ocorre no dia 03 de abril, embora essas pessoas possam fazê-lo on line junto à Justiça Eleitoral: “Talvez ai se resolva a situação das filiações, não há muito problema”.

Segundo o presidente da FEMURN, há uma preocupação maior com o processo de transferências e inscrições de novos eleitores, cujo prazo termina na primeira semana de maio. “Daqui pra lá, a gente não sabe como vai estar isso, porque a transferência tem que ser presencial, é outra data que pode ser prejudicada”.

Como as autoridades de saúde afirmam que a curva de crescimento do coronavírus deve ocorrer em abril e a queda só venha a se configurar entre agosto e setembro, “Naldinho”, como é conhecido, teme que isso também concorra para a não realizações das convenções partidárias para escolha de candidatos entre a segunda semana de julho e o começo de agosto.

“Não se sabe como vai estar a situação da pandemia de coronavírus daqui pra lá”, alertou “Naldinho”, que cumpre o segundo mandato à frente da prefeitura de São Paulo do Potengi e, por isso, não pode ser candidato à reeleição.