Mariana França diz que é normal às pessoas sentirem medo, angústia, raiva e sensação de impotência — Foto: Divulgação

Com milhares de mortes pelo mundo, a pandemia do novo coronavírus está assustando e, até, provocando pânico em populações inteiras. São 34 mortes confirmadas no Brasil (até o momento desta publicação), de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Ainda não existe medicamento indicado para tratar o Covid-19. Por isso, o poder público tem focado em medidas que possam conter a proliferação do vírus. E a principal orientação é para que as pessoas evitem o convívio social o máximo possível.

Mas passar dias em isolamento, distante de familiares, amigos e dos compromissos do dia a dia, não é tarefa fácil. A psicóloga clínica Mariana França, do Hapvida Saúde, diz que é normal às pessoas sentirem medo, angústia, raiva e sensação de impotência em momentos de crise como esse. “Mas é preciso cuidar da saúde física e emocional para manter a imunidade do corpo alta”, alerta.

Uma das dicas da psicóloga para enfrentar o isolamento é realizar atividades para preencher o dia, de preferência respeitando o mesmo horário do trabalho e a mesma hora da alimentação. “Estamos em uma situação sem precedentes. Mantenha a esperança e se fortaleça com o que lhe faz bem. Escute música, cuide da sua espiritualidade e viva um dia de cada vez”, orienta Mariana França.

Veja outras dicas:

1 – Não entrar em pânico. Precisamos manter a calma visto que estamos na primeira fase da contaminação. Todas as medidas são protetivas. Estamos na fase de mitigação;

2 – Angústia e impotência são frequentes em quem não pode cumprir todas as orientações de isolamento social. Para quem não foi liberado ainda do trabalho, mantenha os rituais de prevenção e principalmente de higiene. A orientação é para ficar em casa;

3 – Escolha um horário pra ver as notícias do dia. Não se encher de informações desnecessárias e fake news. Sempre dê ouvido às informações emitidas por órgãos oficiais e reconhecidos;

4 – Articule uma rede de apoio no seu prédio ou com os vizinhos da rua para se comunicar e se ajudar;

5 – Ficar falando do Covid-19 o tempo todo gera um aumento dos níveis de ansiedade, estresse e quadros de desesperança. Isso pode lhe deixar assustado demais e gerar o risco de entrar em pânico ou depressão.