Autoridades de saúde de Pernambuco participaram de entrevista coletiva, na noite desta quarta (26) — Foto: Rafazel Souza/G1

Por G1 PE — Pernambuco investiga mais dois possíveis casos suspeitos de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A informação foi divulgada na noite desta quarta (26) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu com os dois possíveis novos registros suspeitos no estado.

O primeiro registro suspeito em Pernambuco é de uma mulher de 51 anos. A paciente esteve na Itália, que confirmou, nesta terça, mais quatro mortes devido à doença, totalizando 11 óbitos

No Brasil, há um caso confirmado da doença pelo governo federal e 20 suspeitos sendo monitorados, entre os quais o de Pernambuco. Cinquenta e nove já foram descartados.

A secretaria informou que os dois novos possíveis casos suspeitos já foram comunicados ao Ministério da Saúde e devem entrar no bolem nacional na quinta-feira (27). As informações foram repassadas durante uma coletiva de imprensa, concedida na noite desta quarta, no Recife.

A pasta disse que são monitoradas pessoas que também vieram da Itália. O primeiro deles é um jovem pernambucano de 24 anos, que veio passar férias e o carnaval no Recife. Segundo a secretaria, ele mora na cidade de Trento, em uma área no Norte da Itália onde a situação do coronavírus é mais crítica.

Ele chegou ao estado há 10 dias e deu entrada diretamente no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), em Santo Amaro, na área central da cidade, na terça (25), com calafrios e tosse seca.

“Por ser asmático e ter falta de ar, ele está, por precaução, na UTI [Unidade de Terapia Intensiva], mas clinicamente estável”, afirmou o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, que participou da coletiva.

Na mesma unidade, que é referência para doenças infecto-contagiosas, encontra-se a primeira paciente. A previsão é de que o resultado dela seja divulgado na sexta-feira (28). O estado informou que os primeiros exames deram negativo para influenza.

O outro novo possível caso é suspeito é de um homem de 41 anos, que também veio da Itália. Essa pessoa passou por Veneza, de acordo com o governo. Ela deu entrada em um hospital da rede particular, onde está em isolamento, mas passa bem.

Todos os casos suspeitos reportados no Hospital Oswaldo Cruz já tiveram a coleta de secreção, via mucosas da boca e foram enviados para a contraprova no Laboratório público de referência Evandro Chagas, no Pará. Ainda será feita a coleta no hospital da rede particular, segundo André Longo.

Para o secretário, o número de possíveis casos suspeitos está dentro do esperado. “O número de casos suspeitos não destoa da expectativa que se tinha em relação ao aumento por conta do avanço do coronavírus pela Europa”, acrescentou.

Ele também alertou para a conduta de pessoas que sentirem sintomas que podem ser associados a essa nova doença. “Nem todos os casos vão precisar de ambiente hospitalar, até para não agravar a situação de outros pacientes”, explicou.