Vítima foi agredida a pauladas e está internada em estado grave no Hospital da Posse — Foto: Reprodução / Internet

Por Rai Aquino/O Dia — Policiais da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu prenderam, na noite desta quinta-feira, um casal suspeito de ter inventado uma história para encobrir o espancamento de um homem. A vítima, que ainda não foi identificada, está internada em estado gravíssimo no Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse).

A agressão aconteceu na Rua Coronel Bernardino de Melo, no bairro da Luz, no município da Baixada Fluminense, horas antes da prisão em flagrante de B. S. Q. O P., de 22 anos, e M. R. E. S. S., 25. De acordo com a delegada Mônica Areal, titular da Deam de Nova Iguaçu, os dois inventaram que a mulher tinha sido estuprada pelo homem, dizendo que ele teria sido linchado por isso.

“Mas não foi isso que aconteceu. Desconfiamos da história e durante a investigação, descobrimos que, na verdade, a vítima foi espancada apenas pelo rapaz de 25 anos, a pauladas, e que a história foi inventada para eles não serem culpados pelo crime cometido por motivo fútil”, conta a delegada.

No depoimento dado na especializada, após ser descoberto, o casal deu algumas versões para o ataque de fúria. Uma delas é que a vítima estava olhando os dois dentro de casa.

VÍDEOS DESMENTIRAM A HISTÓRIA

O falso crime foi descoberto depois que os policiais tiveram no Hospital da Posse pela primeira vez após o casal denunciar a vítima. Os agentes desconfiaram da história.

“A esposa alegou na delegacia que havia sido estuprada por um homem desconhecido. Ela disse que o suposto estuprador entrou na casa deles, uma construção abandonada, depois que o marido saiu para comprar cigarro. Quando M. R. E. S. S. retornou, o homem teria saído correndo, sendo linchado no meio da rua por populares”, disse Areal.

Os policiais conseguiram um vídeo, que mostra apenas o marido agredindo a vítima. Os moradores da região confirmaram a história de que somente M. R. E. S. S. foi quem espancou o homem, fazendo com que eles desmentissem a versão dada inicialmente. Um outro vídeo mostra a mulher levando uma faca para o marido durante as agressões.

“Quando foram presos, eles estavam se preparando para fugir. Já tinham arrumado suas coisas, com a desculpa de que estavam jurados de morte pelo que aconteceu na rua. Eles iriam para São Paulo. A família dele é de lá”, a delegada detalhou.

Ainda segundo a titular da Deam de Nova Iguaçu, M. R. E. S. S. já foi preso pela delegacia no início de 2019 por lesão corporal pela Lei Maria da Penha e estava em liberdade condicional. Agora, ele e a esposa vão responder pelos crimes de tentativa de homicídio por motivo fútil e denunciação caluniosa.

Os agentes trabalham, agora, para identificar o homem internado e localizar algum familiar seu, já que até agora ninguém foi procurar por ele.