Vaticano abrirá em março seus arquivos secretos do período da guerra do pontificado do papa Pio XII — Foto: Kamran Jebreili / AP Photo

O Papa Francisco pediu neste domingo, dia 26, aos 1,3 bilhão de católicos do mundo que parem para um momento de oração e reflexão no 75º aniversário da libertação do campo de extermínio nazista de Auschwitz e digam “nunca mais”.

O papa mencionou o aniversário de segunda-feira (27) durante seu discurso semanal e bênção para dezenas de milhares de pessoas na Praça de São Pedro. “A indiferença é inadmissível diante dessa enorme tragédia, dessa atrocidade, e memória é um dever. Amanhã somos todos convidados a parar por um momento de oração e reflexão, cada um de nós dizendo em seu próprio coração: ‘nunca mais, nunca mais,’” ele disse.

Mais de um milhão de pessoas, a maioria judias, foram mortas no campo de Auschwitz-Birkenau durante a Segunda Guerra Mundial. Com um todo, cerca de seis milhões de judeus morreram no Holocausto.

Por ordem de Francisco, o Vaticano abrirá em março seus arquivos secretos do período da guerra do pontificado do papa Pio XII, uma ação histórica que os judeus buscam há décadas.

Alguns judeus dizem que Pio, que ocupou o cargo de 1939 a 1958, não fez o suficiente para ajudar aqueles que enfrentavam perseguição pela Alemanha nazista e fechou os olhos para o Holocausto. O Vaticano sustenta que Pio escolheu trabalhar nos bastidores.

Do Uol/Reuters