Como não foi preso em flagrante, o homem acabou sendo liberado — Foto: Redes sociais

Por G1 RN — Um dos suspeitos de ter matado o professor Eliezel Urbano, de 42 anos, se apresentou à Polícia Civil nesta quinta-feira (23) e confessou ter esfaqueado a vítima durante uma briga, em uma casa da praia de Barreta, em Nísia Floresta, na região metropolitana de Natal. O crime aconteceu na madrugada de quarta-feira (22). Como não foi preso em flagrante, o homem acabou sendo liberado.

Segundo a Polícia Civil, dois dos três homens que estavam na casa com o professor e um colega dele se apresentaram à delegacia, acompanhados de advogado. Um confessou que esfaqueou o professor enquanto o outro declarou que não teve participação no crime. O terceiro suspeito também teria tido envolvimento na briga, mas ainda não foi encontrado.

O crime aconteceu na madrugada da quarta-feira (22), durante uma bebedeira na casa de praia. A vítima sofreu pelo menos oito cutiladas, de acordo com a polícia. Eliezel estava em uma casa com outro amigo professor e a dupla teria chamado outros três rapazes para beberem juntos. Conforme a polícia, Eliezel era homossexual e teria assediado um dos rapazes, que não gostou e começou uma confusão, na qual a vítima foi esfaqueada.

De acordo com a Delegacia de Nísia Floresta, o assassino confesso não permaneceu preso porque livrou o flagrante e agora só pode ser detido por força de mandado judicial. Mais informações sobre as investigação não foram dadas.