Fabienne Belle é presidente da Associação das Famílias das Vítimas do Voo da Chapecoense — Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Gazeta Esportiva.com — O dia 29 de novembro ficará marcado para sempre na história do futebol de uma forma muito triste. O acidente aéreo que envolveu o time da Chapecoense completa três anos nesta sexta-feira (considerando o horário brasileiro – seria no dia 28 na Colômbia). O desastre deixou 71 mortos e diversas famílias desamparadas, que até hoje, mesmo tanto tempo depois, lutam por justiça.

Em entrevista exclusiva para a Gazeta Esportiva, Fabienne Belle, presidente da Associação das Famílias das Vítimas do Voo da Chapecoense (AFAV-C), contou qual a atual situação da disputa judicial que envolve a companhia aérea LaMia e a corretora AON para o pagamento da indenização aos familiares das vítimas.

“Os seguros da companhia não foram pagos para ninguém”, afirmou Fabienne, que é viúva do fisiologista Luiz César Martins Cunha. “O que foi oferecido pela corretora e seguradora foi um fundo humanitário no valor de US$ 225 mil (cerca de R$958 mil) para cada família”, completou.

Quem aceitou a proposta, porém, assina um termo abrindo mão de seus direitos legais e comprometendo-se a não entrar em nenhum tipo de ação contra os responsáveis pelo acidente.

O valor sugerido é muito inferior ao que calcula a AFAV-C. Segundo a associação, cada família deveria receber entre US$ 4 milhões e US$ 5 milhões.

“Acontece que muitos se viram obrigados a assinar por necessidade do dinheiro”, ressaltou Fabienne. Ao todo, foram 28 famílias que aceitaram a proposta.

Como a presidente da associação explica, a AFAV-C foi criada para levantar informações e documentos que revelassem as verdadeiras causas e os responsáveis pelo desastre. “O acidente não aconteceu no minuto final. Ele nasceu muito antes. A responsabilidade é dos órgãos do governo da Bolívia, da Colômbia, da corretora e da seguradora”, declarou.

Esses documentos se tornaram públicos e foram levados a Brasília. A partir disso, o Governo Brasileiro começou a se envolver na causa, e a questão chegou, inclusive, ao presidente Jair Bolsonaro. No dia 20 de agosto deste ano, a associação também se reuniu com o ministro Sérgio Moro, para discutir possíveis medidas. O papel do Itamarati é, principalmente, articular as negociações com os representantes políticos bolivianos e colombianos.

“O Ministério Público agendou uma ação em favor das famílias solicitando o pagamento da apólice. Isso já está na mão do juiz Narcíso Baez, da 2ª Vara Federal de Chapecó. Será uma decisão muito importante para nós, mas quando se trata de justiça tudo é muito demorado”, disse Fabienne.

Quanto à relação das famílias com a própria Chapecoense, a situação hoje é bem diferente da que se tinha logo após o acidente. Segundo a presidente da associação, a postura do clube, em um primeiro momento, foi de usar a tragédia para se promover midiaticamente, algo muito reprovado pelos parentes das vítimas.

Esse problema não existe mais. Depois de muito diálogo, foi estabelecido um termo de ajuste de conduta, prevendo que a Chape consulte as famílias antes de tomar qualquer atitude que envolva os falecidos, além de incluir o clube na luta pelas indenizações. “Hoje, eles participam dos movimentos propostos por nós e sempre enviam representantes para as audiências públicas”, afirmou Fabienne.

Logo na semana em que o desastre completa três anos, a Chapecoense confirmou seu rebaixamento para a Série B do Brasileiro, o primeiro de sua história, após perder para o Botafogo na 35ª rodada do Brasileirão.

Confira a baixo a lista completa de vítimas e sobreviventes do acidente:

Vítimas:

Elenco da Chapecoense:

Danilo – goleiro

Gimenez – lateral

Bruno Rangel – atacante

Marcelo – zagueiro

Lucas Gomes – atacante

Sergio Manoel – meio-campista

Filipe Machado – zagueiro

Matheus Biteco – meio-campista

Cleber Santana – meio-campista

William Thiego – zagueiro

Tiaguinho – meio-campista

Josimar – meio-campista

Dener Assunção – lateral

Gil – meio-campista

Ananias – atacante

Kempes – atacante

Arthur Maia – meio-campista

Mateus Caramelo – lateral

Aílton Canela – atacante

Comissão técnica:

Caio Júnior – técnico

Eduardo de Castro Filho – auxiliar técnico

Luiz Grohs – analista de desempenho

Anderson Paixão – preparador físico

Anderson Martins – preparador de goleiros

Dr. Marcio Koury – médico

Rafael Gobbato – fisioterapeuta

Cocada – roupeiro

Sergio de Jesus – massagista

Adriano – membro da comissão

Cleberson Silva – membro da comissão

Luiz César Martins Cunha (Cesinha) – comissão técnica

Gilberto Pace Thomas – assessor de imprensa

Diretoria:

Sandro Pallaoro – presidente

Mauro Stumpf – vice-presidente de futebol

Eduardo Preuss – diretor

Chinho di Domenico – supervisor

Nilson Folle Júnior – diretor

Decio Burtet Filho – diretor

Edir de Marco – diretor

Ricardo Porto – diretor

Mauro dal Bello – diretor

Jandir Bordignon – diretor

Dávi Barela Dávi – empresário

Delfim Peixoto Filho – vice-presidente da CBF e presidente da Federação Catarinense

Imprensa:

Victorino Chermont – repórter

Rodrigo Santana Gonçalves – cinegrafista

Deva Pascovich – narrador

Lilacio Júnior – coordenador de transmissões

Paulo Julio Clement – comentarista

Mario Sergio Pontes de Paiva – ex-jogador e comentarista

Guilherme Marques – repórter

Ari de Araújo Júnior – cinegrafista

Guilherme Laars – produtor

Giovane Klein – repórter

Bruno Mauro da Silva – técnico

Djalma Araújo Neto – cinegrafista

André Podiacki – repórter

Laion Espindula – repórter

Renan Agnolin – radialista

Fernando Schardong – radialista

Edson Ebeliny – radialista

Gelson Galiotto – radialista

Douglas Dorneles – radialista

Jacir Biavatti – comentarista

Tripulação:

Miguel Quiroga – piloto

Ovar Goytia – piloto

Sisy Arias – copiloto

Romel Vacaflores – assistente de voo

Alex Quispe – auxiliar de voo

Gustavo Encina – representante da LaMia

Angel Lug – técnico da aeronave

Sobreviventes:

Alan Ruschel – ex-lateral da Chapecoense

Jakson Follman – ex-goleiro da Chapecoense

Neto – zagueiro da Chapecoense

Rafael Henzel – jornalista (faleceu em março de 2019, vítima de ataque cardíaco)

Erwin Tumiri – técnico da aeronave

Xemena Suarez – comissária de bordo