Lateral-esquerdo teve grandes por Palmeiras, Corinthians, Real Madrid e seleção brasileira — Foto: Divulgação / Real Madrid

Por IG — O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou nesta quinta-feira o bloqueio do passaporte do ex-jogador Roberto Carlos, lateral-esquerdo com passagens por Palmeiras, Corinthians, Real Madrid e seleção brasileira. O motivo é o não pagamento de uma indenização ao ex-empresário do atleta, Élio Aparecido de Oliveira, preso após ser condenado pelo assassinato do advogado Humberto da Silva Monteiro e pela tentativa de homicídio do radialista Josué Soares Dantas.

De acordo com a desembargadora Márcia Regina Dalla Déa Barone, relatora na 4ª Câmara de Direito Privado do TJ-SP, o bloqueio no caso é “perfeitamente cabível” uma vez que foram esgotados os recursos do ex-jogador, que mesmo com “notória capacidade financeira, continua se furtando de sua obrigação”.

Em 2009, durante uma participação no programa Raul Gil, Roberto Carlos fez diversas críticas ao ex-empresário, que processou o jogador. Em 2011, o ex-jogador, que na época defendia o Corinthians, foi condenado a pagar uma indenização de R$ 25 mil, com juro de mora de 12% ao ano.

Em julho de 2018, com o valor já corrigido, a Justiça de São Paulo determinou o bloqueio de R$ 77 mil em bens de Roberto Carlos, que se recusou a pagar a indenização. Diante do imbróglio, Oliveira pediu a apreensão do passaporte de Roberto Carlos.