Em Natal, Hamilton Mourão participa da abertura do 37° Encontro Econômico da Câmara de Comércio Brasil-Alemanha — Foto: Inter TV Cabugi

Por G1 RN — O presidente em exercício, Hamilton Mourão, afirmou nesta segunda-feira (16) que houve “mais uma questão de comunicação do que uma crise mesmo” na reação às queimadas na Amazônia.

Mourão fez a afirmação ao responder, em entrevista à Inter TV Cabugi, se o encontro que terá com empresários alemães, previsto para ocorrer nesta manhã em Natal, seria uma oportunidade de virar a página da crise ambiental gerada pela alta nas queimadas e alertas de desmatamentos na região amazônica neste ano.

As altas nos indicadores causaram reação fora do Brasil. A chanceler Angela Merkel foi uma dos líderes internacionais a defender que os incêndios na Amazônia fossem debatidos no G7, que ocorreu em agosto. O país europeu também suspendeu o repasse de R$ 155 milhões para o combate ao desmatamento no país.

Houve também boicote de algumas marcas. O grupo sueco H&M, segundo maior varejista de moda do mundo, suspendeu a compra de couro brasileiro em resposta às queimadas.

A V&F, dona de 18 marcas – Timberland e Vans entre elas – também paralisou as compras até ter segurança de que os materiais usados em seus produtos não prejudicam o meio ambiente.

Para Mourão – que no fim do mês passado havia admitido problemas no combate às queimadas na Amazônia – o encontro desta segunda é uma oportunidade para “deixar claro o nosso compromisso com a questão ambiental” aos empresários alemães.

A viagem de Mourão a Natal começou com um café da manhã com a governadora Fátima Bezerra (PT), em que ambos trataram de segurança pública.