Adalberto Leite Martins (à esquerda) tinha 87 anos e jogou com Garrincha na década de 1950 — Foto: © Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Morreu na manhã deste sábado (6), aos 87 anos, o ex-goleiro Adalberto Leite Martins. O ex-jogador, que fez história com a camisa 1 do Botafogo entre 1957 e 1962, faleceu no Rio de Janeiro. A causa do óbito não foi revelada.

Adalberto chegou ao Botafogo em 1957, após se destacar pelo Jabaquara, de Santos. No Glorioso, ele jogou ao lado de lendas como Garrincha, Nilton Santos, Didi, Quarentinha e Paulinho Valentim.

Em seu site oficial, o Botafogo anunciou luto e manifestou “solidariedade aos familiares, torcedores alvinegros e amigos do ídolo Adalberto”.

Eternizado no “Muro dos Ídolos” e muito presente em General Severiano, Adalberto, contemplado com o título de Sócio Emérito, se manteve conectado ao Botafogo e ativo até os últimos momentos de vida, seja em participação em eventos ou recebendo homenagens diversas no clube. Ele esteve recentemente no campo do Estádio Nilton Santos e participou da despedida do ex-goleiro Jefferson dos gramados.

Adalberto Leite Martins, nascido em São Paulo, em 23 de abril de 1931, abraçou muito bem a oportunidade dada pelo técnico João Saldanha para fechar o gol no Campeonato Carioca de 1957, um título comemoradíssimo pelos alvinegros. O timaço de 57 que entrou em campo teve a seguinte configuração: Adalberto, Thomé e Nilton Santos; Servílio, Beto e Pampolini; Garrincha, Didi, Paulo Valentim, Édson e Quarentinha. Técnico: João Saldanha.

Durante o período de 1957 a 1962, o arqueiro disputou 81 partidas no Botafogo e sofreu 79 gols. Além do Carioca de 57, esteve presente em importantes títulos internacionais, como o Quadrangular de Bogotá (61), o Triangular da Costa Rica (61) e o Pentagonal do México (62). É considerado um dos grandes goleiros da história do clube.

Notícias ao Minuto