Corpo de Bombeiros na visita do CT do Ninho do Urubu — Foto: Reprodução / Divulgação

Por Diogo Dantas, Extra — Chegou ao fim sem interdição a vistoria realizada nesta terça-feira no Centro de Treinamento do Flamengo. Autoridades visitaram o local das 10h às 15h, e verificaram se a estrutura atende às exigências de segurança para a obtenção de um Certificado de Aprovação dos Bombeiros e um alvará da Prefeitura.

Além destes órgãos, o Ministério Público e Ministério Público do Trabalho estiveram no local para averiguar a situação dos alojamentos que serão usados pela base no módulo inaugurado em 2016. O módulo novo, inaugurado ano passado, também foi avaliado, assim como todas as estruturas em funcionamento no local.

Em nota, o MP informou que cada instituição vai apresentar relatório na sexta-feira, quando haverá novo encontro.

Durante a vistoria, o Corpo de Bombeiros notificou o CT do Flamengo para apresentação de um novo projeto de segurança contra incêndio e pânico e manutenção dos dispositivos existentes.

Perícia visitou área do incêndio, que não foi vistoriada por demais autoridades — Foto: Diogo Dantas

A área em que os jovens morreram ficou restrita e foi acessada apenas pela perícia criminal. As demais autoridades não vistoriaram o local do incidente, apenas os arredores, onde ainda existem módulos provisórios – contêineres.

O Flamengo informou que continua à disposição das autoridades, que devem passar um parecer sobre as pendências que precisam ser sanadas no CT.

Veja o comunicado do Flamengo:

“O Clube de Regatas do Flamengo recebeu hoje no Centro de Treinamento George Helal, em Vargem Grande, representantes do Ministério Público Estadual, do Ministério Público do Trabalho, da Defensoria Pública, do Ministério do Trabalho, das Secretarias Municipais de Urbanismo e da Fazenda, do Corpo de Bombeiros, do Gabinete do governador do Estado, da Polícia Civil e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

Os representantes dos diferentes órgãos vistoriaram todas as instalações do CT, em cumprimento ao que fora acordado em reunião realizada na tarde de ontem na sede do MP-RJ, após convocação do procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem.

A direção do Flamengo, que acompanhou a vistoria, tomará todas as providências em relação aos pontos que foram observados pelos órgãos públicos. E reitera que seguirá à disposição de toda e qualquer autoridade ou órgão envolvido na apuração das causas da tragédia que vitimou atletas da categoria de base do Clube na manhã da última sexta-feira.

O Clube de Regatas do Flamengo – cuja nova administração assumiu há pouco mais de um mês – continua com o seu Comitê de Crise mobilizado na sede da Gávea, e ainda tendo como prioridade o atendimento aos familiares das vítimas fatais e aos atletas feridos”.

Veja o comunicado do MP:

“O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) realizaram vistoria técnica, nesta terça-feira (12/02), no Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio.

As instituições que compõem a força-tarefa recolheram informações técnicas relacionadas às instalações do Ninho do Urubu e a questões ligadas à proteção dos direitos da infância e da juventude. Representantes do Flamengo estiveram presentes e franquearam o acesso às dependências do centro. Foram requisitados documentos para embasar posterior análise da perícia.

Também estiveram presentes representantes da Polícia Civil do Estado, do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e da Prefeitura do Município do Rio, que recolheram material para a complementação do parecer sobre a inspeção.

Como já anunciado, cada instituição apresentará relatório conclusivo na próxima sexta-feira (15/02), em reunião a ser realizada às 10 horas na sede do MPRJ, para a adoção das medidas cabíveis junto ao clube para a regularização do CT”.

Faxina no CT

A diretoria convocou cerca de 20 funcionários responsáveis pelo setor administrativo e de patrimônio para auxiliar na perícia feita pelo Ministério Público e outras entidades. O Corpo de Bombeiros foi o primeiro órgão a chegar ao local, seguido por Prefeitura e Ministério Público do Rio.

Entre os dirigentes do Flamengo, o vice de futebol, Marcos Braz, se manifestou.

– Essa apuração interessa para todo mundo. Vamos colaborar com as autoridades e queremos esclarecer o que aconteceu – disse o dirigente à reportagem, ressaltando que está à frente da pasta há 35 dias.

O local onde o contêiner usado como alojamento pela base pegou fogo teve segurança reforçada. Também havia intensa movimentação de profissionais do dia a dia do Ninho do Urubu, com efetivo maior para limpeza das áreas que passarão por avaliação.

Próximo ao local do acidente, foi possível confirmar a existência de um gerador, que atende a parte da frente do CT, onde a base se instalava. O Flamengo alega que o curto-circuito que atingiu o ar-condicionado do alojamento se deveu a picos de luz naquela madrugada. A árvore e o poste que caíram na rua do CT ainda estavam no chão nesta terça-feira, uma semana após o temporal.