Viúva Veruska Seibel com as filhas e também Dona Mercedes, mãe do âncora — Foto: Eduardo Martins / AgNews

Sob fortes emoções, o corpo do jornalista Ricardo Boechat foi cremado na tarde desta terça-feira (12), no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. De forma discreta, a cerimônia privada durou cerca de 30 minutos.

Essa foi a despedida da família do jornalista vítima de um acidente após o helicóptero em que estava cair na Rodovia Anhanguera e colidir com um caminhão. O piloto que estava na aeronave também não resistiu e morreu carbonizado.

Corpo do jornalista Ricardo Boechat foi cremado — Imagem: Reprodução / Globo

Ao contrário da cremação, o velório foi aberto ao público e recebeu dezenas de personalidades conhecidas e importantes na carreira de Boechat. Alguns nomes como João Doria, governador de São Paulo, e o presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, João Carlos Saad, estavam presentes na ocasião.

A viúva do jornalista, Veruska Seibel, chegou à cerimônia acompanhada das filhas, Valentina, 12, e Catarina, 10, e também da sogra, Dona Mercedes, mãe do âncora. Os outros filhos de Boechat também compareceram ao velório do pai.

Boechat deixou a esposa Veruska e mais seis filhos. A viúva o definiu como “o ateu que mais praticava o amor ao próximo”. “Meu marido era o ateu que mais praticava o mandamento mais importante de todos, que era o amor ao próximo, porque sempre se preocupou com todo mundo, sempre teve coragem. E é muito difícil fazer o que ele sempre tentou fazer. Então, com erros e acertos, como qualquer pessoa, mas tenho muito orgulho dele”, declarou.