No caso de Felipe Maia, a decisão de Agripino desistir da reeleição no Senado Federal impacta diretamente (José Aldenir / Agora Imagens)

Do Portal Agora RN – As articulações com o objetivo de fortalecer o grupo de Carlos Eduardo Alves (PDT), pré-candidato ao Governo do RN, não são as únicas questões que estão interferindo na definição do futuro do senador José Agripino Maia (DEM) e do deputado federal Antônio Jácome (PODEMOS). Os destinos dos filhos dos dois, o deputado federal Felipe Maia (DEM) e o estadual Jacó Jácome (PSD), também estão pesando nessa definição, uma vez que, ao fechar o próprio futuro, eles pretendem também garantir um caminho tranquilo à manutenção da carreira de suas proles.

No caso de Felipe Maia, a decisão de Agripino desistir da reeleição no Senado Federal impacta diretamente, visto que a opção do senador seria, pela lógica (e para manter o foro privilegiado em Brasília, onde responde a duas denúncias), a Câmara dos Deputados. Dessa forma, Felipe teria que abrir mão da reeleição, mesmo sendo atualmente o coordenador da bancada potiguar no Congresso, e aceitar uma candidatura a deputado estadual.

A possibilidade de ser indicado a vice de Carlos Eduardo também não está descartada, mas seria muito arriscada na visão de pessoas ligadas ao deputado federal. Além disso, também inviabilizaria, de vez, a possibilidade de aliança com a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, do PP, visto que o grupo tem disponibilizada, para a indicação dela, justamente a vaga de vice.

Dessa forma, caso não tenha interesse em disputar a Assembleia, até para não dividir os votos dos demais candidatos Democratas, Felipe Maia pode, simplesmente, deixar a vida política em 2018 e seguir a carreira de empresário.

Do outro lado, o assunto é delicado por não envolver apenas o grupo de Carlos Eduardo. Afinal, o filho de Antônio Jácome, Jacó Jácome é, atualmente, filiado ao PSD, que terá o governador Robinson Faria como candidato à reeleição.

Tendo o pai um espaço importante na chapa adversária, Jacó pode ser até impedido de disputar a reeleição pelo partido ou concorrer sem apoio significativo da sigla. Caso isso acontece, a opção da família para manter o espaço seria lançar a mulher de Jacó, Mariana Procópio, candidata a estadual. Ela é filiada ao PODEMOS.