Governo do RN contou uma vítima duas vezes devido ao estado de mutilação em que se encontrava - Foto: AFP

Do Novo Jornal – O diretor do Instituto Técnico e Científico de Polícia (ITEP), Marcos Brandão, disse agora há pouco em entrevista coletiva que todos os detentos assassinados que não foram carbonizados, na rebelião no Presídio Estadual em Alcaçuz tiveram suas cabeças decepadas. O número foi reduzido, ao invés de 27, a confirmação é de que foram 26 mortos, dois carbonizados e um parcialmente carbonizado. Todas as vítimas são da facção Sindicato do Crime, segundo as autoridades da segurança do estado.

“Todos os corpos que não foram carbonizados foram decapitados. A identificação começa amanhã porque vamos fazer um trabalho detalhado de informações sobre as vítimas, por isso, não temos ainda a lista dos mortos”, disse o diretor.

Também houve depredação do presídio. “Lá dentro era cenário de barbárie. Encontramos corpos decapitados e a estrutura muito danificada. A estrutura será estabeleicda gradativamente, mas não temos como dar um prazo”, disse o secretário de Justiça e Cidadania (SEJUC) Wallber Virgolino.

Ele disse ainda que as transferências começam amanhã (16) quando presos do PCC (Primeiro Comando da Capital) serão encaminhados para áreas diferentes dos detentos do Sindicato do Crime, mas dentro das unidades prisionais do estado. Também foram reforçadas, segundo disse, as guaritas e o perímetro externo para evitar novas rebeliões.

*Com informações do Novo Jornal