O Flamengo apresentou nesta segunda-feira o técnico Reinaldo Rueda. O colombiano chega com a incumbência de levar os rubro-negros ao rumo das vitórias e títulos na temporada. O comandante, que ainda depende do visto de trabalho para estrear no banco, exaltou sua chegada ao clube carioca.

“Muito feliz de estar aqui nessa grande instituição, aproveitando essa oportunidade. Esperamos buscar essa reação que o Flamengo, como um time grande, precisa. É um orgulho e uma satisfação ser técnico do Flamengo. Espero cumprir com as expectativas. O desafio é grandíssimo, mas temos muita paixão e compromisso”, disse.

Treinador colombiano agora depende de visto para comandar o Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

Rueda foi questionado sobre a adaptação ao futebol brasileiro. O treinador afirmou que sempre acompanhou os campeonatos nacionais na Colômbia.

“É um desafio muito alto, estou consciente do que significa o Flamengo para o povo brasileiro. Na Colômbia, sempre seguimos o futebol brasileiro como referência, e eu, como treinador, acompanhava os jogadores colombianos que jogam aqui. Por último, veio Orlando Berrío ao Flamengo, e tinha interesse em observar os jogos”, declarou.

O técnico também foi perguntado sobre o que achou da equipe contra o Atlético-MG. Na tribuna, Rueda viu o Flamengo ser derrotado no Independência e admitiu que os cariocas não tiveram uma boa atuação neste fim de semana.

“Sabíamos que seria um jogo difícil, pelo momento do time, com um time alternativo, com alguns jogadores reservas. Infelizmente, não foi um bom jogo, até o pênalti o jogo estava parelho. Depois, o Atlético ganhou confiança e faltou à nossa equipe reação. Não foi uma apresentação que queríamos ter, mas isso é futebol”, comentou.

Treinador colombiano agora depende de visto para comandar o Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

Por fim, Rueda falou sobre os adversários na Copa do Brasil e Sul-Americana: Botafogo e Chapecoense, respectivamente. Coincidentemente, o colombiano enfrentou as duas equipes nesta temporada ainda quando comandava o Atlético Nacional-COL.

“São situações da vida e do futebol. Creio que enfrentaremos um Botafogo forte, em bom momento. Chapecoense também enfrentei recentemente. Temos conhecimento de perto. Espero que sirva para fazer a diferença e cumprir com as metas que queremos”, finalizou.

Gazeta Press – Rio de Janeiro, RJ