A decisão é da categoria dos bucomaxilofaciais que discordam da proposta da empresa GERIR (Foto: Reprodução)

Os pacientes internados no Hospital Regional de Patos (HRP) na Paraíba podem ficar sem cirurgias eletivas e de urgência a partir de agosto. A decisão é da categoria dos bucomaxilofaciais que discordam da proposta da empresa GERIR, nova administradora do hospital, em reduzir os plantões e plantonistas impossibilitando todas as cirurgias.

“A proposta da empresa é que fique apenas um cirurgião bucomaxilofacial de plantão, onde neste caso, o profissional não poderá fazer cirurgias. A ideia de reduzir os plantões e plantonistas coloca em risco a saúde e a vida dos que precisam de atendimento, com sequelas irreversíveis a estes pacientes”, destaca Joana Batista Oliveira Lopes, presidente do Sindicato dos Odontologistas do Estado da Paraíba (SINDODONTO/PB).

Segundo levantamento estatístico do Hospital Regional de Patos do número de atendimentos aos pacientes, no período de janeiro a março de 2018, o atendimento apontou recorde, sendo a terceira especialidade cirúrgica mais executada e a quarta especialidade com mais atendimentos no quadro médico total da unidade hospitalar.

Por mês, o quadro de especialistas bucomaxilofaciais – atendem uma média de 20 cirurgias, considerado um número satisfatório, garantindo a diminuição da espera dos pacientes.

De acordo com a categoria, o modelo de atendimento apresentado com apenas um bucomaxilofacial coloca em risco a vida e a saúde dos pacientes, já que todos os atendimentos eletivos (que não tem urgência) não seriam mais executados, resultando em prejuízos irreversível aos pacientes que sofrem com fraturas e infecções na área da região facial que não serão mais tratadas na unidade hospitalar.

Atualmente, o cirurgiões  bucomaxilofaciais são os responsáveis pelos atendimentos de urgência e emergência (porta de entrada), estabilização e suporte ao paciente politraumatizado, consultas, cirurgias traumatológicas e reconstrutivas de emergência sob anestesia geral, procedimentos cirúrgicos ambulatoriais, ambulatório de retornos, visita aos pacientes internos (evolução e prescrição), respostas de pareceres por solicitação de outras especialidades, cobertura odontológica na unidade de terapia intensiva (UTI), cirurgias de urgência realizadas no centro cirúrgico, além de referência (cobertura) para o Hospital Infantil Noaldo Leite, realizando desde de pareceres, consultas, internações e cirurgias.

O serviço de cirurgia e traumatologia em Patos abrange aproximadamente um milhão e meio de habitantes, sendo referência no sertão paraibano, atendendo inclusive pacientes do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Ceará.

Bucomaxilofacial
É o especialista da odontologia que trata das doenças e tumores da boca, corrige anomalias faciais, tratamento das fraturas faciais e de casos complexos de reconstrução facial, sendo o responsável direto pelo paciente quando da internação hospitalar, como dispõe a resolução do CFO 004/99 sobre as atribuições e competências deste profissional.