Somente no Seridó, 39 queijeiras estão sendo beneficiadas (Foto: João Vital)

Quarenta e sete organizações produtivas de leite e queijo assinaram neste sábado (30), os convênios do Edital de Apoio às Agroindústrias de Leite e Derivados, lançado pelo Governo do RN por meio do Governo Cidadão, Banco Mundial e Secretaria de Agricultura (SAPE). O investimento de R$ 23 milhões vai adequar e regularizar organizações, cooperativas e queijeiras de todo o Estado. Somente no Seridó, 39 queijeiras estão sendo beneficiadas.

“Este momento coroa um esforço conjunto de todo o Governo. Em meio a tantas dificuldades, o governador tomou como prioridade tirar o setor da informalidade sem deixar perder o aspecto artesanal. Nosso queijo é uma iguaria cada vez mais consumida e valorizada e isso só tende a crescer a partir de agora”, destacou o secretário e coordenador do Governo Cidadão, Vagner Araújo.

Quase 400 agricultores estão sendo diretamente beneficiados. As assinaturas aconteceram em solenidade na Câmara Municipal de Currais Novos e contaram com a presença do governador Robinson Faria. “Hoje é um dia histórico para a região do Seridó. A partir de agora vamos levar nosso queijo para além das fronteiras do Rio Grande do Norte”, disse.

Especificamente no Seridó, o edital fará a estruturação de 39 agroindústrias (queijeiras). A meta é atingir a regularização junto aos órgãos de inspeção sanitária como IDIARN e Ministério da Agricultura, após a adequação da estrutura física do empreendimento, aquisição de máquinas e equipamentos, logística de transporte, comercialização e capacitação.

O edital beneficia oito organizações do Seridó, sendo duas cooperativas. Ainda serão investidos em subprojetos nos outros quatro territórios: Açu-Mossoró, Agreste Litoral Sul, Sertão Central Litoral Norte e Sertão do Apodi.

Central do Cidadão

O governador Robinson Faria também visitou as obras da Central do Cidadão de Currais Novos, que começaram neste mês. Os investimentos somam R$ 3,4 milhões e são oriundos do Governo Cidadão e Banco Mundial. Quando pronta, a Central vai atender a população de oito municípios e realizar uma média de 35 mil atendimentos por mês.