Senador José Agripino - Foto: Divulgação

O presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), defendeu, nesta quinta-feira (1º), a destinação compulsória de recursos para a segurança pública. Aliás, segundo o parlamentar potiguar, esse será o caminho natural depois que o governo federal decidiu criar o Ministério da Segurança Pública. “Existe recurso vinculado para a educação, para a saúde e não tem para a segurança. O primeiro passo, neste sentido, foi a criação do novo ministério. É a sinalização de que a segurança é prioridade nacional. A pasta existindo, o passo seguinte será a destinação compulsória de recurso para que a segurança possa se adequar e ser instrumentalizada”, frisou Agripino.

O parlamentar pelo Rio Grande do Norte elogiou a criação da nova pasta e frisou que segurança pública deve se tornar prioridade no país.  “A criação desse ministério é uma boa novidade para o Brasil. Porque se há uma coisa que deve ser prioritária é a segurança pública”, destacou Agripino. “E segurança se faz com equipamento, inteligência, informação, vigilância de fronteira. Isso tudo exige recursos financeiros”, acrescentou.

Nesta segunda-feira (27), o presidente Michel Temer assinou medida provisória (MP 821/2018) que criou o Ministério Extraordinário da Segurança Pública que deve funcionar dezembro. A pasta  está sob o comando do ministro Raul Jungmann. De acordo com a MP  – que está em tramitação no Congresso -, passa a ser competência da nova pasta coordenar e promover a integração da segurança pública em todo o território nacional em cooperação com os demais entes federativos.