Encontro teve participação da bancada federal do RN e representantes da indústria salineira (Foto: Divulgação)

A deputada federal Zenaide Maia participou, junto a bancada federal do Rio Grande do Norte, na terça-feira (20), de audiência com o Ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes no Palácio do Itamaraty, em Brasília, para discutir a medida antidumping do sal.

O objetivo da reunião foi a cobrança por parte da bancada federal do RN e também de representantes da indústria salineira do estado para que a medida antidumping tenha continuidade, pois busca corrigir distorções decorrentes de práticas desleais, quando há importações a preço de dumping, gerando danos às empresas. Havia um decreto da Lei antidumping para o sal brasileiro, válido por cinco anos, mas o prazo de validade expirou em setembro do ano passado.

No decorrer da reunião, diante a preocupação com relação as possíveis consequências caso a medida não tenha continuidade, o Ministro Aloysio Nunes confirmou que a questão era delicada e que será analisada pela Câmara de Comércio Exterior (Camex) com a celeridade que o tema necessita. “Se a medida antidumping não tiver a atenção merecida e for suspensa, estará promovendo uma grande perda à economia brasileira, especialmente para a indústria salineira do RN”, enfatizou a deputada Zenaide.

A audiência contou com a participação dos deputados federais Felipe Maia (DEM), Beto Rosado (PP), Rafael Motta (PSB), a senadora Fátima Bezerra (PT) e representantes da indústria como o presidente do Sindicato da Indústria de Moagem e Refino do sal do RN (Simorsal), Renato Fernandes, o presidente do Sindicato da Indústria de Sal (Siesal), Airton Torres, o Diretor Executivo e a Advogada da Salinas do Nordeste S.A (Salinor) Rafael Mandarino e Marília Castañon.

Deputada federal Zenaide Maia e os auditores fiscais (Foto: Divulgação)

Deputada recebe agradecimentos em Brasília

Em outra ocasião, ainda em Brasília, na tarde da terça-feira, a deputada Zenaide recebeu agradecimentos dos Auditores Fiscais Estaduais e Auditores Fiscais da Receita Federal pelo apoio constante contra a terceirização plena, o desmonte da CLT e Reforma da previdência.