Bancos da praça André de Albuquerque estão extremamente deteriorados (Foto: José Aldenir / Agora Imagens)

Do Portal Agora RN – Quem costuma frequentar as praças públicas de Natal tem se deparado com um cenário nada convidativo nos últimos anos. Com a presença da vegetação em estado excessivo, o lixo em volume demasiado, a segurança comprometida e o aspecto de abandono aparente, cada vez menos pessoas se arriscam a passar a tarde ou a noite com seus familiares e amigos em um dos pontos fixados na capital, o que gera problema para todos: desde os próprios frequentadores até mesmo os pequenos comerciantes que possuem lojas no local.

Ao longo desta quinta-feira, 25, a reportagem do Jornal Agora RN percorreu seis das principais praças de Natal e constatou os mesmos problemas em todas. Foram visitadas as praças Almirante Tamandaré, André de Albuquerque, Augusto Severo, Sete de Setembro (conhecida também como Três Poderes), Pedro Velho (Cívica) e Santa Cruz da Bica (do Cruzeiro), todas elas partes do Centro Histórico de Natal. Na Augusto Severo, que fica em frente ao Teatro Alberto Maranhão, fica a comerciante Maria Livramento, que reclamou do abandono na área.

“Estamos aqui há vários anos e depois que a rodoviária deixou de funcionar essa praça virou lar para usuário de drogas. São muitos por aqui e a noite o número fica cada vez maior. Tem registros de assaltos também, que graças a Deus nunca aconteceu comigo, mas a situação é essa: de abandono. Nós (comerciantes) ficamos aqui à mercê da bandidagem e nossas vendas despencam cada vez mais. Só queremos que o poder público dê uma atenção maior à praça, que é importante para a história da cidade”, pediu.

Bancos foram arrancados na Praça Augusto Severo, na Ribeira. (Foto: José Aldenir / Agora Imagens)

O discurso de dona Maria foi praticamente o mesmo de José Fernandes, que possui um pequeno comércio na Praça Almirante Tamandaré, próximo ao viaduto do Baldo. No caso dele, que está no ponto há 4 anos, a segurança só existe por força de iniciativa própria, que foi aderida após uma tentativa de arrombamento no quiosque. “Tentaram entrar aqui uma vez, mas eu encho isso de cadeado para evitar e também passei a pagar a ronda motorizada. Foi a única forma que achei de manter meu negócio seguro. Aqui eu vendo poucas coisas, mas elas são importantes para mim”, declarou.

Apesar da constatação feita pela reportagem nas visitas in loco nesta quinta-feira, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Natal (SEMSUR) disse, em nota, que realizou um trabalho de limpeza nestas praças recentemente. “Durante a limpeza destes equipamentos também foi realizada a poda das árvores. O trabalho realizado está incluído no cronograma de limpeza e manutenção de praças e canteiros da cidade”, declarou a pasta, que admitiu, ainda, ter se deparado com as pichações aqui retratadas quando do ato da limpeza dos equipamentos públicos.

“Constatamos os pontos de depredação, como pichações e cadeiras quebradas. (Quanto a isso), condenamos os atos de vandalismo e pedimos a conscientização da população para a manutenção das praças da cidade”, pediu, para finalizar com a informação de que iniciou, recentemente, o processo de restauração de locais públicos que ainda não foram tombados como patrimônio histórico. “Já iniciamos, mas o trabalho ainda está em fase inicial”, finalizou.

Idosas caminham no piso irregular da Praça Cívica, em Petrópolis. (Foto: José Aldenir / Agora Imagens)