Gleisi Hoffmann (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

A senadora disse que não há provas contra Lula, nem crime, por isso o desembargador quer “tirar o foco” do julgamento.

Agência Estado – A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), chamou de “cortina de fumaça” a acusação de que os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, estão sofrendo ameaças. Para Gleisi, isso ocorre porque o presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, está com “um pepino” nas mãos e precisa desviar as atenções da “ausência de provas” contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“O PT não faz ameaças. O presidente do TRF-4 quer criar uma cortina de fumaça e tirar o foco do julgamento em si porque, na realidade, ele está com um pepino lá, que é um processo pelo qual não tem como condenar o Lula, por absoluta ausência de provas. Aliás, ausência de crime”, disse Gleisi. “Então, como de outras vezes, o desembargador está fazendo uma ação política. Não é papel dele cuidar disso.”
A senadora não descartou a possibilidade de haver “infiltrados” nas manifestações programadas para o próximo dia 24 – data do julgamento de Lula -, mas ressalvou que o partido já pediu providências ao governo do Rio Grande do Sul e ao comando da Brigada Militar.
Gleisi afirmou que o PT solicitou à cúpula da polícia gaúcha atenção especial à presença de eventuais provocadores nos atos em defesa de Lula. “Eles têm inteligência e têm como separar as pessoas infiltradas dos manifestantes, para não acontecer o que ocorreu aqui em Brasília, durante protesto contra a reforma da Previdência”, disse a senadora.
Sem esconder a contrariedade com comentários de que o PT partirá para a violência caso o ex-presidente seja condenado na segunda instância judicial, Gleisi disse que o partido sempre orientou os militantes a promover manifestações pacíficas. “Da nossa parte, todos podem ficar muito tranquilos”, disse ela. “Se houver ato de violência, de vandalismo, não será cometido pelo PT.”