CAE cria grupo de trabalho para avaliar reforma tributária

Bancada:
senador Eduardo Girão (Novo-CE) em pronunciamento;
senador Rogério Carvalho (PT-SE); 
senadora Tereza Cristina (PP-MS); 
senador Jaques Wagner (PT-BA); 
senador Rogerio Marinho (PL-RN); 
senador Cid Gomes (PSB-CE); 
senador Eduardo Gomes (PL-TO).
GT criado pela Comissão de Assuntos Econômicos também vai avaliar periodicamente o sistema tributário nacional Roque de Sá/Agência Senado

Por Agência SenadoA Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou, nesta terça-feira (11), criação de grupo de trabalho para avaliar os projetos que regulamentarão a reforma tributária promulgada em 2023. O grupo também avaliará, periodicamente, o sistema tributário nacional e os impactos da reforma tributária.

A instituição do grupo atende ao requerimento (REQ) 66/2024 – CAE do senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO), que preside a CAE. Segundo ele, o grupo buscará garantir que o sistema tributário “seja eficiente, transparente e promova a justiça fiscal em todo o território nacional”.

Atualmente um grupo de trabalho da Câmara dos Deputados analisa o projeto de lei complementar (PLP) 68/2024, enviado pelo governo, que institui as mudanças aprovadas pela Emenda Constitucional 132, de 2023.

Terrenos de marinha

O colegiado também aprovou na reunião a realização de debate sobre a proposta de emenda à Constituição (PEC 3/2022) que autoriza a União a vender os chamados terrenos de marinha, localizados próximos das praias, lagoas e rios. O REQ 67/2024 – CAE, do senador Rogério Carvalho (PT-SE), convida representantes do Ministério de Portos e Aeroportos, do Gabinete de Segurança Institucional e da Secretaria de Patrimônio da União.

A PEC será analisada apenas na CCJ, onde aguarda votação, e depois irá a Plenário.