Senado vai doar livros para bibliotecas atingidas pelas enchentes no RS, diz Paim

Em discurso, à tribuna, senador Paulo Paim (PT-RS).
Jefferson Rudy/Agência Senado

Por Agência Senado — O senador Paulo Paim (PT-RS) anunciou, em pronunciamento no Plenário nesta segunda-feira (10), que o Senado Federal vai ajudar a recompor as bibliotecas de universidades e institutos federais atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul (RS). Segundo Paim, será doado um exemplar de cada publicação já editada pelo Senado, abrangendo selos das edições técnicas e do Conselho Editorial. Ele explicou que a doação de livros é vista como uma medida emergencial de apoio à recuperação educacional das instituições atingidas pelas chuvas.

— Eles agradeceram muito, porque, neste momento, o Rio Grande do Sul precisa, claro, de alimento, de roupa, de auxílio; precisa de doação, e está vindo de todas as partes do Brasil e também [do exterior]. Mas eles acharam muito simbólico que, ali na Comissão de Direitos Humanos, [ocorresse o anúncio] dos livros, a importância de se entregarem livros, porque eles perderam muito das suas bibliotecas com a enxurrada. A tragédia das chuvas e enchentes atingiu as universidades e os institutos federais no estado. Claro, não são todos, mas os que foram atingidos serão beneficiados — explicou.

Paim destacou a gravidade dos danos causados pelas enchentes e afirmou que, de acordo com levantamentos preliminares, vão ser necessários aproximadamente R$ 124 milhões para recuperar as estruturas das universidades e dos institutos federais danificadas pelas chuvas. Além disso, ele apontou que o ensino superior na região necessitará de um ano para retornar ao nível de atividades que mantinha antes da catástrofe. 

O parlamentar também registrou que os reitores de universidades federais do Rio Grande do Sul e dos institutos federais do estado, além de secretários do Ministério da Educação (MEC) se reuniram para apresentar um projeto para combater a questão do desastre climático.

— Antes do nosso encontro, os reitores participaram de um evento no Palácio do Planalto com o presidente Lula, onde foram apresentadas, pelo governo federal, algumas medidas para o ensino superior do país, entre elas a criação de vagas — porque aqui aprovamos, inclusive nas universidades federais, vagas para indígenas e quilombolas. Já tínhamos para negros e negras, então foram incluídas para indígenas e quilombolas. O ministro da Educação, Camilo Santana, nesse mesmo evento no Palácio, confirmou a instalação do campus da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Caxias do Sul — informou.