Empresários paraibanos têm carro ‘metralhado’ em tentativa de assalto: ‘Uma noite que a gente não vai esquecer’

Carro de empresários é alvejado por mais de 50 tiros quando voltavam para a Paraíba na madrugada da quarta-feira (5) — Foto: TV Cabo Branco/reprodução
Carro de empresários é alvejado por mais de 50 tiros quando voltavam para a Paraíba na madrugada da quarta-feira (5) — Foto: TV Cabo Branco/reprodução

Por g1 PB — Um casal de empresários paraibanos teve o carro ‘metralhado’ em uma tentativa de assalto quando voltavam de Pernambuco. Segundo eles, o veículo foi atingido por mais de 50 tiros, em uma perseguição que durou mais de 40 km na divisa entre Pernambuco e a Paraíba

Os empresários Alielson Lima e Elane Inácio viajaram a Pernambuco para compra de mercadorias, como roupas e calçados. Eles estavam saindo da cidade de Santa Cruz, quando após passarem por um posto de gasolina, um carro em alta velocidade ultrapassou o deles, deu um ‘cavalo de pau’, os ocupantes desceram e começaram a atirar.

O empresário não parou e conseguiu desviar dos suspeitos, mas relembra que dois amigos que os estavam seguindo em um outro veículo tiveram o pneu acertado por uma das balas e foram feitos reféns por um dos suspeitos. Os outros três voltaram ao carro e iniciaram a perseguição atirando contra o carro do casal.

Segundo Alielson, eles foram seguidos por cerca de 45 km e os criminosos não pararam de atirar durante este percurso. O empresário disse que fez zigue-zague para tentar escapar dos tiros, fechou o carro dos suspeitos e chegou a frear bruscamente para tentar fazer os criminosos baterem.

Alielson diz que os suspeitos só pararam de os perseguir quando chegaram em uma outra cidade e deram a volta. Ele conta que o pneu do carro deles também havia estourado impossibilitando o carro de rodar mais.

Elane comenta que muitas mercadorias foram atingidas, dando a eles cerca de 40 a 50 mil reais de prejuízo material. Elane revela que ela e o marido estão dormindo sob o efeito de remédios e que quando acordam têm a sensação de estar revivendo a perseguição.

“A gente acorda e só escuta os barulhos. Não sei como a gente vai ficar, a gente precisa passar pelo mesmo caminho novamente”, disse Elane

O casal também ressaltou que os amigos que chagaram a serem feitos reféns estão bem.