Brasil conquista sete medalhas em etapa de Copa do Mundo de bocha

Laíssa Guerreira, André Martins, copa do mundo, bocha paralímpica
© Alessandra Cabral/CPB/Direitos Reservados

Por Agência Brasil — A seleção brasileira encerrou a sua participação na etapa São Paulo da Copa do Mundo de bocha paralímpica com a conquista de sete medalhas (um ouro, quatro pratas e dois bronzes). A competição, que contou com a participação de 85 atletas de 24 países, foi realizada no Centro de Treinamento (CT) Paralímpico.

No último dia de disputadas, nesta quinta-feira (6), o Brasil garantiu uma prata com a dupla formada pelo maranhense André Martins e pela paraibana Laissa Guerreira nos pares BC4 (outras doenças severas, mas que não recebem assistência).

“Tem sido um período de evolução para nós. Foi a primeira Copa do Mundo que competimos juntos. Vamos levar essa final como aprendizado. Antes de Paris, vamos atrás da medalha de ouro na próxima etapa da competição”, declarou André, que, junto com Laissa, conquistou a classificação para a próxima edição dos Jogos Paralímpicos, que será realizada em Paris (França), ao vencer o qualificatório de Coimbra (Portugal) nos pares BC4.

Brasil conquista 1 prata e 1 bronze no último dia de etapa da Copa do Mundo no CT Paralímpico 🥈🥉🇧🇷

O país terminou a competição com sete medalhas, sendo um ouro, quatro pratas e dois bronzes.

Saiba mais em nosso site!#LoteriasCaixahttps://t.co/Y4UGri2247

“Levamos muito a nossa vontade de acreditar para dentro da quadra. Mesmo sendo jovens, mostramos que somos grandes como atletas. Temos uma sintonia boa durante os jogos, que ajuda na tomada das decisões das jogadas. Um conhece o outro. Então, tudo isso tem corroborado para esses resultados”, completou Laissa.

A segunda medalha do dia foi um bronze, obtido na disputa por equipes BC1/BC2. O trio brasileiro, formado pelo cearense Maciel Santos, pelo potiguar Iuri Tauan e pela pernambucana Andreza Vitória garantiu o último pódio do Brasil na competição.

A Copa de Mundo de bocha paralímpica é um dos eventos mais importantes do calendário internacional da modalidade, e serviu como avaliação e preparação para os Jogos de Paris 2024. Esta foi a primeira vez na qual o CT Paralímpico sediou a competição.