Em greve, servidores da UFRN protestam e fecham marginal da BR-101 em Natal

Servidores da UFRN em greve fecham marginal da BR-101 em Natal — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi
Servidores da UFRN em greve fecham marginal da BR-101 em Natal — Foto: Reprodução/Inter TV CabugiServidores da UFRN fazem ato na BR-101, em Natal — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Por g1 RN — Servidores em greve na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) fizeram uma manifestação às margens da BR-101, em frente ao campus da instituição, no bairro Candelária, Zona Sul de Natal, na manhã desta segunda-feira (3).

Por volta das 7h40, os manifestantes fecharam a passagem de veículos na marginal da rodovia federal, causando um congestionamento na região.

O transito foi liberado pouco antes das 8h e o grupo de manifestantes começou uma passeata no campus universitário.

Os técnicos-administrativos, que realizam o ato junto com estudantes, entraram em greve na instituição há mais de 80 dias, em 14 de março. Já os professores da instituição paralisaram as atividades no dia 22 de abril.

Pessoas que passavam pelo local pouco antes da interdição registraram presença de fumaça de queima de pneus na região. Os manifestantes cobravam o atendimento das demandas dos técnicos pelo governo federal.

Na pauta da greve, os servidores cobram reajuste salarial em 2024 e pelos próximos anos, além de restruturação das carreiras e recomposição do orçamento das instituições federais.

Na última segunda-feira (27), o governo chegou a assinar um acordo com a Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Proifes-Federação).

No entanto, mesmo fazendo parte da federação, os professores da UFRN não aceitaram o acordo e mantiveram a greve.

A proposta também não foi aceita pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) e pelo Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe).