Série de recordes mundiais de temperatura se estendeu até abril

calor
© Arquivo/Agência Brasil

Por Agência Brasil — O mundo acabou de passar pelo abril mais quente já registrado, ampliando uma sequência de 11 meses em que todos eles estabeleceram recorde de temperatura, informou o serviço de monitoramento de mudanças climáticas da União Europeia nesta quarta-feira (8).

Cada mês, desde junho de 2023, foi classificado como o mais quente já registrado, em comparação com o mês correspondente nos anos anteriores, disse o Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus (C3S) em boletim mensal.

Incluindo abril, a temperatura média do mundo foi a mais alta já registrada em um período de 12 meses – 1,61 grau Celsius acima da média do período pré-industrial de 1850 a 1900.

Alguns dos extremos – incluindo meses de temperaturas da superfície do mar que bateram recordes – levaram os cientistas a investigar se a atividade humana já provocou um ponto de inflexão no sistema climático.

“Acho que muitos cientistas têm se perguntado se poderia haver uma mudança no sistema climático”, disse Julien Nicolas, cientista sênior do C3S.

As emissões de gases de efeito estufa provenientes da queima de combustíveis fósseis são a principal causa das mudanças climáticas. Nos últimos meses, o fenômeno natural El Niño, que aquece as águas superficiais no leste do Oceano Pacífico, também aumentou as temperaturas.

Os cientistas já confirmaram que a mudança climática causou alguns extremos climáticos específicos em abril, incluindo uma onda de calor no Sahel, que pode ter causado milhares de mortes.

O conjunto de dados do C3S remonta a 1940, que os cientistas cruzaram com outros dados para confirmar que o mês passado foi o abril mais quente desde o período pré-industrial.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.