Esperidião Amin destaca debate sobre ampliação das cotas afirmativas no serviço público

Em pronunciamento, à bancada, senador Esperidião Amin (PP-SC).
Waldemir Barreto/Agência Senado

Por Agência Senado — O senador Esperidião Amin (PP-SC) destacou em pronunciamento nesta quarta-feira (8) debate realizado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), também nesta quarta, sobre o projeto de lei que prorroga por dez anos e amplia para 30% a reserva de vagas em concursos públicos para pretos, pardos, indígenas e quilombolas (PL 1.958/2021). O parlamentar ressaltou que o senador Plínio Valério (PSDB-AM) se manifestou para que haja diferenciação entre negros e pardos no texto, o que resultou em ampla discussão do colegiado.

— O fato é que nós tivemos um debate de um tema importante. […] Um dos pontos que o senador Plínio focalizou desde o início, com uma determinação esclarecida, foi a respeito da situação do pardo, nesta etnocracia de cotas, vamos chamar assim. E ele foi vitorioso nessa questão; foi vitorioso no argumento e no voto. Então, eu queria só celebrar esse debate que houve aqui entre o senador Paulo Paim [PT-RS] e o senador Plínio Valério.

Esperidião Amin também destacou que o presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (União-AP), precisou desempatar a votação de uma emenda que propunha o percentual de 20%, como no projeto original. Davi acompanhou o relator pela rejeição, o que resultou em 13 votos contrários a emenda, contra 12 favoráveis.