Maria do Socorro, de 67 anos e o marido, Manoel Ferreira, de 66, morreram vítimas da Covid em Caicó. — Foto: Redes sociais

Por Hugo Andrade, Inter TV Costa Branca — Um casal morreu de Covid-19 com nove dias de diferença de um para o outro na cidade Caicó, na região Seridó do Rio Grande do Norte.

Maria do Socorro da Silva, de 67 anos, faleceu neste domingo (28) por complicações da doença. Ela já havia perdido o marido, Manoel Ferreira da Silva, de 66, no dia 19 de novembro, também para o coronavírus.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Maria do Socorro não estava vacinada com nenhuma das doses contra a Covid. A pasta não confirmou se Manoel recebeu o imunizante.

Antes de morrer, o casal ficou internado na mesma unidade de saúde, o Hospital do Seridó, após a doença agravar.

Maria trabalhou na secretaria de uma escola estadual e estava aposentada há mais de dois anos. Já Manoel era músico e era conhecido na cidade como “Manoel Baterista”.

“Nós já ficamos sentidos com a perda do amigo Manoel Baterista. Depois veio a notícia da morte dela. Nós ficamos bem sentidos. Foi um dia bem triste para a escola toda, porque perdemos uma pessoa tão querida quanto Socorro era”, declarou o diretor da escola onde Maria Socorro trabalhava, Gilmar Donizete.
Marido e mulher deixaram quatro filhos e netos. Os familiares não quiseram falar sobre as mortes.

Nas últimas 24 horas, segundo a Sesap, duas pessoas morreram por causa da Covid no estado. Além de Maria, em Caicó, a outra morte confirmada foi na cidade de São José de Mipibu.

Vacinação em Caicó

A secretaria de saúde de Caicó informou que segue aplicando as vacinas contra a Covid na cidade. De acordo com RN Mais Vacina, até a última atualização dessa reportagem, 3.998 pessoas estão com a 2ª dose atrasada no município.

A coordenadora técnica da secretaria Jardênia Nogueira reforçou a importância das pessoas completarem o esquema vacinal.

“Embora nós tenhamos um número bom de vacinados com a 1ª dose, é importante que essas pessoas que estão com a 2ª dose em atraso, procurem o posto”, explicou Jardênia Nogueira, coordenadora técnica da secretaria de Saúde de Caicó.

“Algumas pessoas tomam com um ou dois meses de atraso. Ela ainda vai servir, mas é claro que quando é aquele prazo estipulado, existe uma melhor resposta imunológica. Então é importante que as pessoas procurem os postos de saúde para completar seu esquema vacinal”, reforçou.