Neste dia, dia 1º de setembro, é festejado um marco de lutas e de triunfos. — Foto: Naquib Libânio/Drone/Arquivo

No final do século XVII, com o objetivo específico de reprimir a volta dos índios Cariris, uma expedição chegou ao território, marcando a presença do homem branco em área indígena.

O povoamento da região só ocorreu algum tempo depois com a chegada de Antônio Azevedo Maia Júnior, nos idos de 1770, que se tornou o novo proprietário da fazenda que comprou ao Sargento Mor Alexandre Nunes Matos e deu-lhe o nome de fazenda Conceição.

Ao falecer em 1822, Antônio Azevedo Maia Júnior deixou uma grande descendência e nessa época a comunidade Conceição já estava alcançando desenvolvimento de vila. Em abril de 1853, foi instalada uma escola e em 1856 passou a ser freguesia de Nossa Senhora da Conceição.

Desmembrado de Acari, em 1º de setembro de 1858, pela Lei nº 407, o povoado de Conceição passou a Município com a denominação Jardim, em virtude da existência de um belo jardim cultivado pelo Capitão Miguel Rodrigues Viana.

Em 27 de agosto de 1874, de acordo com a Lei nº 703, para diferenciar de Jardim de Angicos, o Município passou a ser chamado de Jardim do Seridó.

163 Anos de Emancipação Política do Município

Portanto, neste dia, 1º de setembro, é festejado um marco de lutas e de triunfos, ao longo da história, em busca de ganhar cada vez mais prestígio no cenário do Rio Grande do Norte. A cada ano, a data se torna mais cheia de definições, pretensões e esperanças de dias melhores. Parabéns, Jardim do Seridó, pelos seus 163 Anos de Emancipação Política do Município.

Com informações do Wikipédia