A Procuradoria-Geral da República elenca 4 perguntas a serem respondidas. — Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ

A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou ofício a governadores acusando-os de mau uso do dinheiro público, diz a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a coluna, que teve acesso a dois dos documentos encaminhados, ambos assinados pela subprocuradora-geral Lindôra Araújo, o ofício trata de suspeitas que têm sido levantadas pelo presidente Jair Bolsonaro sobre desvios de verbas federais na pandemia.

A PGR elenca 4 perguntas a serem respondidas. Em uma delas, ao pedir esclarecimentos sobre o fechamento de hospitais de campanha, a subprocuradora diz que a desativação das unidades teria causado “prejuízo ao erário, não só em relação às vidas com a falta atual de leitos como o decorrente da verba mal utilizada.”

No documento não são indicadas quais provas Araújo possui sobre os prejuízos provocados pelo suposto mau uso das verbas públicas pelos gestores estaduais nos hospitais de campanha.

Em outro questionamento, a subprocuradora aborda as suposições que têm sido feitas pelo presidente da República sobre o recurso federal enviado para o combate à pandemia ter sido usado pelos governadores para outras finalidades.

Lindôra Araújo diz que as respostas têm que ser assinadas “pessoalmente” pelo governador pois “tal responsabilidade não pode ser atribuída a outros órgãos”.

Rio Grande do Norte

Ao governo Rio Grande do Norte, comandado pela petista Fátima Bezerra, Lindora vai no mesmo caminho do presidente e pergunta: “Qual o valor efetivamente investido na saúde, na prevenção de casos e no combate à pandemia? Algum valor destinado à saúde (combate à pandemia) foi realocado para pagamento de outras despesas do Estado?”

A subprocuradora afirma no ofício que as respostas devem ser assinadas “pessoalmente” pelo governador porque “tal responsabilidade não pode ser atribuída a outros órgãos”.

Fonte: Painel/Folha de S.Paulo