Sessão desta terça-feira (6), na Assembleia Legislativa, no horário destinado aos deputados. — Foto: Eduardo Maia

O deputado estadual Ubaldo Fernandes (PL) relatou na sessão desta terça-feira (6), na Assembleia Legislativa, no horário destinado aos deputados, a redução de internamentos por parte de idosos no contexto da pandemia no Rio Grande do Norte. Ele afirmou que ainda não tem como atribuir à vacinação contra Covid-19, mas que há uma esperança nos efeitos da imunização.

“Precisamos comemorar”, disse o parlamentar, referindo-se à diminuição de idosos afetados pelo vírus, ao mesmo tempo que se mostrou preocupado em relação aos jovens que vêm sendo as recentes vítimas da Covid. O parlamentar fez um alerta para a ampliação dos grupos prioritários na campanha de vacinação.

O deputado Vivaldo Costa (PSD) comentou em sua participação remota na sessão ordinária, a conferência realizada na região Seridó com participação do meteorologista Gilmar Bistrot. “Ele afirmou categoricamente que teremos um inverno abaixo do normal”, disse Vivaldo, levantando a preocupação com a possibilidade de mais um período de seca no Rio Grande do Norte.

“Compete a essa Casa e a toda classe política, se somar ao Governo do Estado, ao presidente, ao Ministério do Desenvolvimento Regional para que possamos socorrer a população”, alertou Vivaldo. Ele se referiu à necessidade de implementação de programas de abastecimento através de carros-pipa e de perfuração de poços tubulares.

O deputado Souza (PSB) levantou o que ele chamou de ‘reflexão’, ao tratar sobre a necessidade de ampliação da vacinação. “A gente não pode esquecer que há um grupo numeroso que está no Plano Nacional de Imunização”, disse o deputado, referindo-se a portadores de comorbidades como diabetes, doenças renais, cardíacas, câncer e pessoas obesas.

“São pessoas que quando contraem o vírus sofrem efeitos muito mais perigosos”, disse o parlamentar. Souza lembrou que essas pessoas incluídas no grupo de prioridades deverão ser vacinadas tão logo seja concluída a imunização em pessoas na faixa etária de 60 anos e mais.