MC Lan nega ter dopado e estuprado MC Jhacy. Cantora acusa cantor de ter cometido o crime quando foi a casa dele tratar de assuntos profissionais — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Por Kleber Tomaz, G1 SP — A cantora de funk e modelo Jhacy França, de 28 anos, procurou uma delegacia para acusar o também funqueiro MC Lan, de 27 anos, de dopá-la e estuprá-la, no último sábado (6), dentro da casa dele, em um condomínio fechado em São Mateus, Zona Leste de São Paulo.

O artista negou as acusações. MC Lan usou suas redes sociais para gravar um vídeo e dizer que não a dopou e que a relação sexual com MC Jhacy foi consensual. Falou ainda que ele foi vítima de extorsão e ameaça praticada por telefone por um homem após ter se encontrado com ela.

Procurada para comentar o assunto, a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou ao G1 que “a vítima e o investigado foram ouvidos” e que a Polícia Civil apura as duas denúncias: de estupro de vulnerável e de extorsão.

“A autoridade solicitou exames periciais à vítima e trabalha para esclarecer todas as circunstâncias relacionadas do fato”, informa trecho do comunicado da pasta da Segurança. “As investigações seguem sob sigilo judicial”.
No domingo (7) passado, Jhacy registrou boletim de ocorrência por estupro de vulnerável contra Lan no 49 º Distrito Policial (DP), São Mateus, na Zona Leste da capital. Ele, por sua vez, fez registro de extorsão no mesmo dia na delegacia eletrônica.

Os dois MCs já foram ouvidos pela investigação, que aguarda os resultados dos exames médicos feitos na cantora para saber se ela foi dopada por Lan como relatou aos policiais. Jhacy também foi levada a um hospital para comprovar se foi vítima de violência sexual e tomar contraceptivos.

Estupro

De acordo com a investigação, MC Jhacy e MC Lan se conheceram pelo Instagram e na última sexta-feira (5) combinaram de se encontrar.

Jhacy contou aos policiais que procurou Lan para pedir ajuda porque queria um emprego no meio musical. O MC, por sua vez, relatou que ambos iriam se ver para se conhecerem melhor.

Segundo policiais, ela falou que queria um trabalho já que, por conta da pandemia de coronavírus, sua carreira de cantora estava comprometida e que aceitaria até limpar a casa do MC.

Por volta das 22h de sábado, Lan a convidou para ir à residência dele para conversarem. Para isso, pediu a um amigo que pagasse um transporte por aplicativo de celular para buscar Jhacy onde ela mora.

Chegando ao local, os dois se conheceram pessoalmente até que ela bebeu com ele. Até aí, a versão dos dois é parecida e só muda a partir do momento que ocorreu a relação sexual entre eles.

De acordo com o registro policial, Jhacy contou que Lan ofereceu bebida a ela e colocou, sem ela perceber, uma substância entorpecente no copo. Depois, ela falou que ficou desorientada e alterada e que foi obrigada a transar com o artista.

Nota divulgada em seu Instagram, a Ilumi Productions Records, que cuida da carreira artística de Jhacy, informa que a MC contou ter ido se encontrar com Lan para tratar de assuntos profissionais.

“Segundo comprovação por mensagens enviadas via aplicativo, solicitou emprego para MC Lan”, relatou a empresa no comunicado. “Ao chegar ao local do encontro com MC Lan, Jhacy procurou deixar claro que não desejava manter relações íntimas com ele”.
Ainda segundo a Ilumi, que ofereceu seu advogados para acompanhar Jhacy na denúncia, a artista se sentiu mal após tomar uma bebida oferecida pelo cantor, depois “sentiu-se mal e foi sexualmente abusada por MC Lan”.

A nota da empresa continua informando que a sua cantora falou que “havia sido colocada alguma substância tóxica na bebida” e que “Jhacy possui em seu corpo evidências do estupro”.

O comunicado também relata que a MC chegou agitada em sua casa “pelo efeito da droga colocada na sua bebida” e que um vizinho a levou “ao médico, pois a mesma estava sentindo muitas dores no peito.”

O G1 não conseguiu localizar ou falar com a MC até a última atualização desta reportagem. “Jhacy está muito constrangida com o acontecimento”, alegou a empresa que gerencia sua carreira.

Extorsão

A reportagem também não conseguiu conversar com MC Lan, que se defendeu das acusações de estupro dizendo à polícia e em seu Instagram que, após receber a cantora, os dois quiseram beber, transaram consensualmente, e que ela começou a pedir dinheiro a ele e gritar.

O artista diz no vídeo que serviu a bebida para Jhacy, mas não mencionou nada a respeito de ter usado qualquer remédio para dopá-la.

“Resolvemos beber um pouco. Nos divertimos muito, demos muita risada. Fluindo, fluindo, fluindo até que aconteceu: Rolou a primeira relação”, contou MC Lan sobre a transa que tiveram, segundo ele, consensual.
“Ao final da segunda relação, ela pediu para usar o banheiro”, disse o artista, que contou que Jhacy mudou o comportamento. “Desceu falando sobre o aluguel dela que estava atrasado. Que estava sem dinheiro, precisando de dinheiro, precisando de emprego”.

Lan falou que deu a ela R$ 300 para pagar parte dos R$ 500 do aluguel que estava em atraso. “Ao invés dela ter ficado feliz, ela se transformou, começou a surtar, ter um mix de bipolaridade”, disse. “Me agradecia e cinco minutos depois já estava reclamando, falando que precisava de mais, que R$ 300 não resolvia a vida dela.”

O músico falou ainda que para acabar com a gritaria pediu que um transporte por aplicativo a levasse para casa.

“Imagine uma pessoa gritando de madrugada falando que precisava de mais dinheiro, que estava pensando em se matar”, relatou Lan.
Segundo ele, a mulher ainda gritou do lado de fora do condomínio e as câmeras de segurança do local gravaram isso. “Ali eu já não estava entendendo mais nada”, afirmou.

Após ela ir embora, o MC contou que começou a receber mensagens ameaçadoras com indícios de extorsão feitas por um homem pelo WhatsApp.

“Às 6h e pouco da manhã começaram a chegar mensagens ameaçadoras no meu WhatsApp. Eu resolvi bloquear ele”, falou Lan.

Segundo nota divulgada à imprensa por seus advogados, Nicholai Candido Mattuella da Silva e Mariah Batista Fontes Prado, as mensagens enviadas pelo desconhecido no celular de Lan tinham “característica de extorsão”. E por esse motivo, eles orientaram o cliente a registrar uma ocorrência sobre o crime na delegacia eletrônica.

De acordo com os advogados, após ser procurado pelos investigadores, Lan foi com seus defensores à delegacia prestar esclarecimentos sobre a acusação de estupro feita por MC Jhacy e apresentar provas da extorsão.

“Apesar de a modelo alegar ter sido vítima de violência sexual e ser dopada, a defesa do Mc Lan apresentou as provas que demonstraram que ato sexual foi consensual e que em nenhum momento MC Lan a forçou a nada”, informa um trecho do comunicado da defesa de Lan.

“MC Lan está perplexo com as acusações feitas pela modelo e reafirma que não cometeu qualquer crime, seja ele de qualquer natureza, e que sempre estará à disposição das autoridades para esclarecer a verdade”, termina a nota.