Mulher foi condenada ao ressarcimento de R$ 8.123,00 e a pena de 2 anos e 1 mês de reclusão, que foi substituída por prestação de serviço à comunidade — Foto: José Cruz/Agência Brasil

Uma moradora da cidade de Japi, interior do Rio Grande do Norte, foi condenada por estelionato no programa Bolsa Família. A sentença do Juiz Federal Walter Nunes da Silva Júnior julgou procedente a denúncia de que Alvanira Pontes de Souza Freitas prestou falsas declarações sobre a renda familiar com o objetivo de continuar recebendo o benefício da União.

A suposta beneficiária estava recebendo o Bolsa Família de 2003 até dezembro de 2012. Em janeiro de 2013 o benefício foi bloqueado. Em agosto ela pleiteou em juízo restituição de R$ 938,00, pelo benefício bloqueado de janeiro a julho de 2013. Foi nesse momento, ao julgar improcedente o pedido, que foi identificada a fraude, já que Alvanira não era trabalhadora rural como havia declarado, e sim professora e o marido borracheiro. “A própria foto do imóvel em que vive Alvanira Pontes de Souza Freitas, inserida no relatório elaborado pela assistente social Josidalva Dantas da Silva, já evidencia a manutenção de um padrão de vida bem superior àquele relatado pela acusada”, escreveu o Juiz Federal Walter Nunes.

O magistrado condenou a ré ao ressarcimento de R$ 8.123,00 e a pena de 2 anos e 1 mês de reclusão, que foi substituída por prestação de serviço à comunidade.